Primeiro caso de vírus zika confirmado em São Paulo

O primeiro resultado positivo de febre pelo vírus zika em São Paulo foi confirmado hoje pela Secretaria Estadual de Saúde.

O infectado é um homem de 52 anos, do município de Sumaré, na região de Campinas, interior paulista. Os sintomas foram constatados em 10 de março e, atualmente, o paciente já está curado.

A transmissão da doença, assim como a dengue, ocorre por meio da picada do mosquito Aedes aegypti.

A doença causa febre baixa, manchas no corpo, coceira e vermelhidão nos olhos. Embora mais brandos do que em outras doenças, os sintomas podem ser confundidos com dengue, febre chikungunya e sarampo.

De acordo com a secretaria, o paciente não tem histórico de viagem nas duas semanas anteriores ao início dos sintomas. Trata-se, portanto de um caso autóctone, ou seja, que teve origem na própria cidade.

A Superintendência de Controle de Endemias (Sucen) enviará dez profissionais de Campinas até Sumaré para fazer o bloqueio e o controle de criadouros no bairro onde o caso surgiu - Parque General Osório.

Essa equipe trabalhará em conjunto com o grupo que atua especificamente no município desde 28 de abril, informou o órgão.

O município de Sumaré ocupa a quarta posição no ranking de cidades com maior número de casos de dengue confirmados em São Paulo. Foram 8.126 ocorrências autóctones até dia 4 de maio. A febre Chikungunya não circula no estado, segundo a secretaria.


Ver mais notícias sobre os temas:

Infecções

Epidemias

Prevenção

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.