Primeiro ovário artificial é desenvolvido no Brasil

Fecundação in vitro

Fecundação in vitro é a técnica que permite fecundar um óvulo fora do organismo materno. Extremamente difundida na medicina humana e veterinária, esta técnica retira o óvulo, em geral já maduro, do ovário.

Ovário artificial

Na busca do melhor aproveitamento dos óvulos e no bem-estar animal, um grupo de pesquisadores da Universidade Estadual do Ceará (UECE), com apoio do CNPq, está desenvolvendo o ovário artificial: uma técnica que oferece aos óvulos condições favoráveis de crescerem, amadurecerem e ovularem fora do ovário, ou seja, in vitro, até ficarem prontos para a fecundação.

"O ovário é repleto de óvulos que normalmente in vivo, dentro do animal, sofrem uma eliminação de 99,9%. Esta perda é muito grande. Com a técnica do ovário, fazemos o desenvolvimento artificial deles in vitro. Se tivermos 10% de eficiência, teremos o potencial de produzir 6 mil bezerros por animal, por ovário", explica o coordenador do projeto, o veterinário José Ricardo de Figueiredo, da UECE.

Aplicação em animais e humanos

A técnica do ovário artificial desenvolvida pelos pesquisadores ainda se encontra em fase de testes, mas já demonstra ter potencial de aplicação para a indústria farmacêutica, permitindo a realização de testes in vitro da ação de fármacos sobre folículos, antes de empregar em experimentos envolvendo animais ou seres humanos.

Há também a utilização na formação de bancos genéticos para animais em extinção e para tratamentos de infertilidade na reprodução humana, possibilitando uma alternativa aos métodos atuais de produção de embriões in vitro, que utilizam procedimentos como a superovulação ou a punção e geram desconforto para a mulher, além de custos elevados.

"Para o bem-estar animal, por se tratar de um modelo exclusivamente in vitro, reduzirá o estresse sofrido com os procedimentos atuais de superovulação, colheita de embriões e punção. É uma alternativa ao uso de animais em experimentos", explica o médico veterinário José Ricardo.

Biotécnica

Para promover o desenvolvimento da biotécnica do ovário artificial e da produção de embriões in vitro, os pesquisadores criaram a Rede de Pesquisa MOIFOPA-PIV Brasil. "O objetivo é fazer um levantamento da infra-estrutura dos laboratórios envolvidos para otimizar a utilização da capacidade instalada de pesquisa, realizando intercâmbio de estudantes, técnicos e pesquisadores, a criação de projetos interinstitucionais, além de evitar a duplicidade de estudos, fazer a padronização das condições de pesquisas, como o meio de cultivo de base comum aos laboratórios, e integrar os grupos", explica o coordenador José Ricardo.

Difusão de tecnologia

Para promover a difusão de tecnologia, os coordenadores da Rede MOIFOPA-PIV estão lançando a segunda edição do livro Biotécnicas Aplicadas à Reprodução Animal. Organizado pelos professores José Ricardo de Figueiredo (UECE), Paulo Bayard Dias Gonçalves, da Universidade Federal de Santa Maria (RS), e Vicente José de Figueiredo Freitas, da UECE, o livro contou com a colaboração de 61 autores e co-autores nos diferentes capítulos.


Ver mais notícias sobre os temas:

Reprodução Assistida

Gravidez

Cuidados com o Recém-nascido

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2017 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.