Qual é o melhor método para combater o mau hálito matinal?

Qual é o melhor método para combater o mau hálito matinal?
Já que você mesmo não consegue, que tal usar um robô para detectar o mau hálito?
[Imagem: BBC]

A combinação da higienização bucal com escova e pasta de dente, e o uso de um enxaguante bucal à base de clorexidina é o método que deixa o hálito melhor e por mais tempo.

A constatação é feita em estudo desenvolvido na Faculdade de Odontologia de Ribeirão Preto da USP.

Jerônimo Neto avaliou diferentes métodos para a redução da halitose matinal, estudando as técnicas isoladamente e seus usos combinados.

O objetivo foi descobrir qual método, utilizando apenas produtos disponíveis no mercado brasileiro, é mais eficaz contra o mau hálito da manhã.

Porém, segundo Jerônimo Neto, os resultados não podem ser estendidos para quem sofre de mau hálito persistente.

"O diferencial da pesquisa foi justamente analisar os métodos de remoção mecânica do biofilme lingual em comparação com os métodos químicos de higienização contra a halitose, pois não havia estudos com essa análise conjunta", diz Jerônimo.

Melhor forma de acabar com o mau hálito

Os resultados mostraram que, imediatamente após o uso dos produtos, apenas os higienizadores linguais foram capazes de reduzir o hálito, com duração de até duas horas.

Os antissépticos bucais reduziram o hálito somente ao final da segunda e terceira horas, enquanto a higienização bucal com escova e pasta de dentes foi eficaz na redução do mau hálito já na primeira hora, perdurando por até três horas.

De acordo com o pesquisador, o método que deixou o hálito melhor e por mais tempo foi a combinação da higienização bucal com escova e pasta de dente e também o uso do enxaguante bucal à base de clorexidina.

"Concluímos que a limpeza mecânica da língua é capaz de reduzir imediatamente o hálito, porém com relativa curta duração de seu efeito, enquanto os antissépticos com clorexidina e a higienização da boca conseguem reduzir o hálito por períodos maiores. Porém, a literatura mostra que o mau hálito crônico pode ainda estar associado a doenças de órgãos como os pulmões, os rins ou o fígado, e isso requer investigação pra detectar o composto responsável pelo cheiro característico," resumiu.

Jerônimo explica que ao contrário do que muitas pessoas imaginam o mau hálito nem sempre está relacionado a problemas no estômago.

Halitose

"Mais de 90% dos casos de halitose estão ligados a alterações na boca e, desse percentual, 60% ao acúmulo de sujeira na língua. Por isso, deve-se fazer a limpeza lingual e também o uso do antisséptico para atingir as partes mais profundas da língua," explicou o pesquisador.

Segundo ele, os portadores de halitose têm dificuldade de perceber o problema, por causa da "fadiga olfativa", ou seja, a própria pessoa não consegue sentir o odor da própria boca (algo muito parecido com o hálito do fumante, que não consegue perceber o seu hálito).

Dessa forma, o pesquisador recomenda: "O dentista é o profissional mais indicado para a detecção do mau hálito, com as orientações corretas, o problema pode ser resolvido".


Ver mais notícias sobre os temas:

Higiene Pessoal

Saúde Bucal

Relacionamentos

Ver todos os temas >>   


  

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.