Reduzir uso de antibióticos não necessariamente reduz resistência de bactérias

Simplesmente reduzir o consumo de antibióticos não irá necessariamente reduzir a resistência bacteriana a esses medicamentos.

A conclusão é de Laura Temime e seus colegas do Conservatoire National des Arts et Métiers (França), que usaram a bactéria Staphylococcus aureus resistente à meticilina (MRSA) como exemplo.

Campanhas de redução do uso de antibióticos

O uso de antibióticos - e seu uso indevido - são tidos como os principais motores para a seleção de bactérias resistentes aos medicamentos.

Isso levou muitos países a implementar intervenções destinadas a reduzir o consumo geral de antibióticos. No Brasil, as regras para venda de antibióticos foram alteradas em 2010.

Mas, segundo os pesquisadores, o sucesso dessas campanhas de redução do uso de antibióticos depende do quais antibióticos têm seu uso reduzido, porque alguns selecionam mais fortemente para a resistência do que outros.

Por exemplo, no caso da S. aureus, reduzir o uso de clindamicina e meticilina levam à diminuição da resistência, enquanto a redução do uso de penicilinas não, uma vez que a maior parte das S. aureus, incluindo a MRSA, já são resistentes à penicilina, explica Temime.

Além disso, os esforços para reduzir o uso de antibióticos devem ser coordenados entre os hospitais e a comunidade, uma vez que um pode repassar bactérias resistentes para o outro, minando os esforços de redução.

Antibióticos de classes específicas

Os pesquisadores analisaram detalhadamente uma campanha realizada na França em 2002-2003, que reduziu o uso de antibióticos no país em 10%.

No entanto, o programa não alcançou todo o seu potencial para reduzir a resistência bacteriana porque não conseguiu atingir os antibióticos que geram a maior resistência, diz Temime.

A pesquisa mostra que mudanças no uso de antibióticos de classes específicas, em vez de uma redução global, seriam a forma de alcançar o maior benefício das campanhas de redução de antibióticos.

Outro estudo recente mostrou que a resistência a antibióticos vai além da ingestão incorreta dos medicamentos porque até 90% do remédio passa através do corpo sem metabolização.


Ver mais notícias sobre os temas:

Bactérias

Medicamentos

Infecções

Ver todos os temas >>   


  

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.