Ver:

 Temas
 Enfermidades





RSS Diário da Saúde

Twitter do Diário da Saúde

13/12/2012

Remédio para emagrecer pode intoxicar e alterar efeitos de outros medicamentos

Redação do Diário da Saúde
Remédio para emagrecer pode intoxicar e alterar efeitos de outros medicamentos
O Dr. Bingfang Yan avisou as autoridades de saúde sobre os riscos do orlistat, um medicamento para emagrecimento.[Imagem: URI]

Intoxicação do fígado e rins

Recentemente, pesquisadores da Unicamp descobriram que um remédio para emagrecer pode provocar síndrome.

Agora se descobriu que o mesmo medicamento pode levar à "toxicidade severa dos órgãos internos, como fígado e rins".

Além disso, o problema é irreversível e pode ser causado por baixas concentrações da droga.

O medicamento em questão, indicado para portadores de obesidade, é o orlistat, presentes em marcas comerciais como Xenical™, Exenical™ e Alli™.

Os resultados, obtidos por cientistas da Universidade de Rhode Island (EUA), estão no último exemplar da revista médica Biochemical Pharmacology.

Alerta às autoridades de saúde

O professor Bingfang Yan, coordenador do estudo, afirma ter alertado a FDA, o órgão norte-americano responsável pela aprovação de medicamentos, sobre os resultados que ele considera alarmantes.

"Como [o medicamento] tem estado disponível sem contraindicações, tem havido um aumento drástico na toxicidade entre os pacientes que usam a droga," disse Yan. "Ela tem sido associada com falha severa do fígado, falha pancreática aguda e falha renal aguda."

Yan explica que o orlistat opera no trato intestinal, evitando que a gordura seja absorvida pelo corpo.

Tem sido geralmente aceito que o orlistat permanece no intestino e que o corpo não poderia absorvê-lo.

"Mas, de acordo com as informações disponíveis, o orlistat é absorvido e, certamente, os órgãos internos tais como o fígado e os rins estão expostos a essa droga depois da absorção," contrapôs Yan.

Efeitos sobre outros medicamentos

O estudo mostrou que o medicamento é um inibidor potente da carboxilesterase-2, uma enzima importante na desintoxicação normal do fígado, rim e do aparelho gastrointestinal.

"Quando a atividade desta enzima diminui nesses órgãos, ou a toxicidade aumenta, a eficácia de algumas drogas é alterada," disse Yan.

Essa enzima é conhecida por metabolizar uma grande variedade de medicamentos, incluindo aspirina e os medicamentos contra o câncer irinotecano e pentilo carbamato de p-aminobenzil carbamato de doxazolidina.

"Este estudo mostra que o orlistat altera profundamente o potencial terapêutico das drogas anticâncer. No caso das drogas anticancerígenas, ele diminui sua eficácia," concluiu Yan.


Ver mais notícias sobre os temas:

Medicamentos

Obesidade

Dietas e Emagrecimento

Ver todos os temas

Mais lidas na semana:

Dor de cabeça: Conheça aquelas que exigem tratamento

Vacina contra dengue pode fazer mais mal que bem em alguns locais

Os muitos mitos sobre as Dores nas Costas

Medicamento desenvolvido no Brasil combate origem da hipertensão

Carne vermelha todo dia faz mal? Especificamente que mal?