Ver:

 Temas
 Enfermidades





RSS Diário da Saúde

Twitter do Diário da Saúde

12/05/2014

Efeitos colaterais "somem" dos estudos publicados em revistas científicas

Com informações da OHSU

Ter um estudo médico publicado em uma revista científica parece não ser mais garantia de que as conclusões são "boa ciência".

O que acontece é que os cientistas da área médica - ou médicos cientistas - frequentemente apresentam os resultados de seus testes clínicos de uma maneira diferente nas revistas científicas e no site oficial do governo.

Nos EUA, há um um site do governo federal - ClinicalTrials.gov - onde os pesquisadores devem inserir os dados das pesquisas em categorias específicas.

Ao comparar os resultados das mesmas pesquisas relatadas no site do governo e nas revistas científicas, o que se observa é que os artigos publicados nas revistas médicas geralmente são mais favoráveis aos medicamentos ou terapias estudadas do que os relatórios no site oficial.

Ocorre que são os artigos publicados nas revistas científicas que servem de embasamento para a autorização da comercialização dos medicamentos ou para a liberação das terapias.

Efeitos colaterais esquecidos

Uma das discrepâncias mais notáveis: dos 84 ensaios clínicos nos quais pelo menos um "evento adverso grave" foi relatado no site governamental, 33 desses estudos relataram menos eventos adversos nas revistas médicas do que haviam sido relatados para o site do governo.

Em 16 desses casos, os eventos adversos sumiram completamente quando o artigo foi publicado nas revistas científicas.

"Há um reconhecimento geral de que eventos adversos historicamente não têm sido relatados consistentemente na literatura médica. E a subnotificação desses eventos é uma grande preocupação porque pode distorcer como os prestadores de cuidados de saúde pesam os benefícios e os malefícios das drogas e outras intervenções médicas para seus pacientes," analisou o Dr. Daniel Hartung, da Universidade do Estado de Oregon, que fez o comparativo entre os dois mecanismos de divulgação das pesquisas médicas juntamente com seu colega Mark Helfand.

"Nossa análise também mostra que o ClinicalTrials.gov poderia ser uma boa alternativa para os consumidores e os prestadores de cuidados de saúde para obter informações completas sobre medicamentos ou intervenções médicas," recomenda o Dr. Hartung.


Ver mais notícias sobre os temas:

Ética

Desenvolvimento de Medicamentos

Saúde Pública

Ver todos os temas

Mais lidas na semana:

Ultrassom no 1º trimestre de gravidez pode agravar autismo

Os muitos mitos sobre as Dores nas Costas

Carne e barbatana de tubarão contêm altos níveis de neurotoxinas

Dor de cabeça: Conheça aquelas que exigem tratamento

Medicamento desenvolvido no Brasil combate origem da hipertensão