Retardar aposentadoria pode levar a uma vida mais longa

Retardar aposentadoria pode levar a uma vida mais longa
O quanto a aposentadoria vai melhorar sua vida? Afinal, uma grande mudança de vida como a aposentadoria cria uma janela de oportunidade para fazer mudanças de estilo de vida positivas.
[Imagem: Universidade de Sydney]

Trabalho e vida longa

Parecem inevitáveis mudanças na Previdência Social que deverão retardar a aposentadoria dos trabalhadores brasileiros, eventualmente estabelecendo uma idade mínima.

A boa notícia é que trabalhar anos adicionais após completar o tempo suficiente para se aposentar pode aumentar a expectativa de vida do trabalhador, enquanto se aposentar mais cedo pode ser um fator de risco para diminuir a longevidade.

Adultos saudáveis que esperaram mais um ano para se aposentarem depois de completaram os 65 anos tiveram um risco 11% menor de morte por todas as causas, mesmo quando se leva em conta as questões demográficas, de estilo de vida e de saúde.

Mesmo adultos que descreveram a si mesmos como tendo uma má saúde foram propensos a viver mais tempo quando se mantiveram trabalhando, o que indica que outros fatores, além da saúde prévia, podem afetar a mortalidade pós-aposentadoria.

"Pode não se aplicar a todos, mas acho que o trabalho dá às pessoas uma série de benefícios econômicos e sociais que poderiam impactar a duração de suas vidas," disse o professor Chenkai Wu, da Universidade Estadual de Oregon (EUA), que liderou o estudo.

Menor risco de morrer

A equipe dividiu o grupo em aposentados não saudáveis - aqueles que indicaram que a saúde foi um fator em sua decisão de se aposentar - e aposentados saudáveis - que indicaram que a saúde não pesou em sua decisão de aposentar. Cerca de dois terços do grupo caiu na categoria saudável.

Durante o período do estudo, cerca de 12% do grupo saudável e 25,6% dos não saudáveis morreram. Os aposentados saudáveis que trabalharam apenas um ano a mais (até os 66 anos) já tiveram um risco 11% menor de mortalidade, enquanto os aposentados não saudáveis que trabalharam um ano excedente apresentaram um risco de mortalidade 9% inferior.

"No geral, o grupo saudável é mais favorecido em termos de educação, riqueza, comportamentos de saúde e estilo de vida, mas levando todas essas questões em consideração o padrão ainda permaneceu," disse Robert Stawski, coautor do trabalho. "Os resultados parecem indicar que as pessoas que permanecem ativas e envolvidas obtêm um benefício disso."

Aposentadoria e longevidade

Os pesquisadores reconhecem que são necessárias pesquisas adicionais e mais detalhadas para entender melhor as ligações entre o trabalho e a saúde, uma vez que, conforme as pessoas envelhecem, sua saúde física e sua função cognitiva normalmente diminuem, o que pode afetar tanto a sua capacidade de trabalhar quanto sua longevidade.

"Esta é apenas a ponta do iceberg," disse Stawsk. "Nós vimos a relação entre trabalho e longevidade, mas não sabemos tudo sobre a vida das pessoas, a saúde e o bem-estar após a aposentadoria que poderiam estar influenciando a sua longevidade."


Ver mais notícias sobre os temas:

Qualidade de Vida

Trabalho e Emprego

Mente

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.