Rir é natural, mas outras emoções têm que ser aprendidas

Aprendendo emoções

Pesquisadores holandeses acreditam ter encontrado provas de que o riso e as expressões de alívio são instintivas, enquanto outras explosões emocionais precisam ser aprendidas com outras pessoas.

Para descobrir quais sons são instintivos, uma equipe liderada por Disa Sauter, do Instituto Max Planck de Psicolingüística, pediu a oito surdos e a oito indivíduos com audição normal que vocalizassem nove emoções diferentes, mas sem palavras.

As emoções estudadas incluíram o medo, alívio, raiva, alegria, triunfo, desgosto e tristeza.

Depois, Sauter e seus colegas reproduziram as gravações para um painel de 25 indivíduos com audição, e pediram-lhes para combinar cada expressão com uma emoção.

Emoções naturais e emoções aprendidas

Os dois únicos sons emocionais feitos pelos participantes surdos que foram facilmente identificados pelos indivíduos com audição foram os risos e os suspiros de alívio.

Por outro lado, é muito mais fácil identificar todas as outras emoções se elas forem "desempenhadas" por indivíduos com audição normal.

Mesmo demonstrações de terror foram muito menos óbvias quando feitas pelos surdos.

"Isso significa que, para muitos tipos de sons emocionais, ouvir os sons feitos pelos outros é uma parte importante do desenvolvimento para que o nosso som seja compreensível para os outros," disse Sauter.

Respiração risonha

"Eu acredito que esta é realmente uma maneira nova de olhar para as expressões emocionais, investigando como as vocalizações se desenvolvem na ausência do feedback auditivo," diz Sophie Scott, do Instituto de Neurociência de Londres.

"A descoberta sobre o riso faz muito sentido, e rir tem sido descrito mais como uma maneira diferente de respiração do que uma maneira de falar," conclui ela.


Ver mais notícias sobre os temas:

Emoções

Sentimentos

Audição

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.