Ver:

 Temas
 Enfermidades





RSS Diário da Saúde

Twitter do Diário da Saúde

10/09/2012

Robô que erra ensina mais às crianças que robô sabe-tudo

Da New Scientist
Robô que erra ensina mais às crianças que robô sabe-tudo
Tentar construir robôs extremamente inteligentes para impressionar as crianças pode ser a estratégia errada para que as crianças aprendam com a ferramenta.[Imagem: Aldebaran Robotics]

Falar e ouvir

Há um ditado que afirma que as orelhas que mais precisam escutar são as que ficam mais próximas da boca que fala.

Parece que há uma verdade científica muito patente por trás dessa sabedoria popular.

Cientistas usaram crianças e um robô para demonstrar que a melhor maneira de aprender é ensinar.

A velha máxima foi posta à prova por um robô em sala de aula cujo objetivo era ajudar crianças a aprender inglês.

Dúvida robótica

Shizuko Matsuzoe e Fumihide Tanaka, da Universidade de Tsukuba (Japão) observaram 19 crianças com idades entre 4 e 8 anos interagindo com um robô humanoide em sala de aula.

As crianças participaram de um jogo de aprendizagem em que elas tinham que desenhar a forma correspondente a palavras em inglês, como "círculo", "quadrado", "crescente" e "coração".

De uma sala ao lado da sala de aula, as pesquisadoras operavam por controle remoto um robô, chamado Nao, para que ele assumisse dois comportamentos distintos.

No primeiro, o robô se comportava como um instrutor, desenhando a forma correta para as crianças.

No segundo, o robô parecia fraco e frágil, cometia erros e agia como se não soubesse a resposta. Nesta situação, os pesquisadores incentivavam as crianças a assumir o papel de cuidadores do robô.

Aprendendo ao ensinar

Quando o robô cometia erros, a criança podia "ensinar" o robô como desenhar a forma correta, guiando sua mão.

O robô então ou "aprendia" a palavra em inglês para essa forma ou continuava a cometer erros.

Matsuzoe e Tanaka descobriram que as crianças se saíram melhor quando o robô parecia aprender com eles.

Essa situação também tornou as crianças mais propensas a querer continuar a interagir com o robô e usá-lo como ferramenta de aprendizagem na sala de aula.

Assim, tentar construir robôs extremamente inteligentes para impressionar as crianças pode ser a estratégia errada para que as crianças aprendam com a ferramenta.


Ver mais notícias sobre os temas:

Educação

Robótica

Mente

Ver todos os temas

Mais lidas na semana:

Carne e barbatana de tubarão contêm altos níveis de neurotoxinas

Os muitos mitos sobre as Dores nas Costas

Dor de cabeça: Conheça aquelas que exigem tratamento

Medicamento desenvolvido no Brasil combate origem da hipertensão

Carne vermelha todo dia faz mal? Especificamente que mal?