Robôs ajudam em terapia de crianças com autismo

Robôs ajudam em terapia de crianças com autismo

[Imagem: USC Viterbi School of Engineering]

Crianças autistas se dão melhor com aparelhos

Os estudos preliminares confirmam um fato que já vem sendo largamente relatado de maneira informal: as crianças com autismo em muitos casos interagem mais facilmente com equipamentos mecânicos e eletrônicos do que com humanos.

A pesquisa está sendo feita pelos pesquisadores Maja Matari e David Feil-Seifer, da Universidade Southern California, nos Estados Unidos.

Os dois agora estão envolvidos em pesquisas adicionais para confirmar suas descobertas e para desenvolver uma "arquitetura de controle" dos robôs que irá ajustar as interações do robô para as necessidades específicas das crianças autistas, ajudando os terapeutas a lidar com a sua condição.

Robôs interativos

O robô tem duas configurações. Em uma, ele se movimenta e pisca no seu próprio ritmo, qualquer que seja o comportamento da criança. Na outra, quando a criança aperta um botão, então o robô pisca.

O estudo acompanhou as crianças e observou as diferenças. "Nós descobrimos que o comportamento do robô afeta o comportamento social de uma criança (tanto a interação humano-humano quanto a interação humano-robô): o comportamento social com um robô interativo foi maior do que com um robô de comportamento aleatório," explicam os pesquisadores.

"A fala total passou de 39,4 para 48,4 locuções, a fala com o robô passou de 6,2 para 6,6 locuções e com os pais passou de 17,8 para 33 locuções. [...] As interações dirigidas (interações que foram claramente dirigidas ao robô ou aos pais) passaram de 62,75 para 89,47. Geralmente, quando o robô está agindo interativamente, a criança fica mais sociável," explicam eles.


Ver mais notícias sobre os temas:

Robótica

Relacionamentos

Cuidados com a Família

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2017 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.