Aumenta demanda por semeadura vaginal

Microparto

Os médicos estão relatando um aumento significativo no número de pais solicitando a chamada "semeadura vaginal" para os bebês nascidos por cesariana.

A prática, também conhecida como microparto, envolve esfregar um cotonete ou dispositivo similar na vagina da mãe e passá-lo sobre a boca, os olhos, o rosto e a pele do bebê logo após o nascimento por cesariana.

A ideia é que a semeadura vaginal permite que um bebê nascido por cesariana entre em contato com bactérias do canal de nascimento, algo que se acredita poder otimizar suas bactérias comensais e reduzir o risco de doenças como alergias ou obesidade.

Mas nem todos concordam com a prática.

"Simplesmente não há evidências que sugiram que isso traga benefícios - e pode acarretar riscos potenciais," critica o Dr. Aubrey Cunnington, médico do Imperial College de Londres e principal autor de um artigo criticando a prática do microparto publicado na revista médica BMJ (British Medical Journal).

Semeadura vaginal e microbioma

A prática da semeadura vaginal surgiu por conta de resultados de estudos que mostram que os bebês nascidos por cesariana têm um risco ligeiramente maior de condições como obesidade, alergias e doenças autoimunes, como a doença inflamatória intestinal.

Os dados de fato mostram que, em comparação com aqueles que nasceram de parto normal, esses bebês têm diferenças no microbioma, a coleção de milhões de bactérias que vivem em nossos intestinos.

"Há um monte de evidências de que as diferenças no microbioma estão associadas com risco de desenvolver doenças como alergias e obesidade," reforça o Dr. Cunnington.

Teoria e lógica

Uma teoria sugere que os benefícios ao microbioma podem ser gerados porque as bactérias às quais o bebê é exposto no canal de parto durante um parto vaginal colonizam seu intestino, ajudando a protegê-lo contra condições como as alergias.

Mas nesse ponto o Dr. Cunnington começa a discordar.

"As pessoas deram um salto de lógica de que as bactérias do intestino devem ser o elo entre a cesariana e o risco destas doenças. Mas nós simplesmente não temos certeza - ou até mesmo se nós podemos influenciar isso através da transferência de bactérias em um cotonete da mãe para o bebê," contesta ele.


Ver mais notícias sobre os temas:

Cuidados com o Recém-nascido

Gravidez

Saúde da Mulher

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.