Sintetizado lipídio com propriedades da gordura do leite humano

Impedimentos à amamentação

Um lipídio estruturado formado a partir da reação entre banha suína e óleo de soja, com propriedades semelhantes à gordura do leite humano, foi desenvolvido em pesquisa da Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCF) da USP.

O objetivo do trabalho da zootecnista Roberta Claro não é substituir o leite materno, indispensável para o desenvolvimento dos recém-nascidos, mas oferecer uma alternativa alimentar para casos específicos, como doenças que impeçam a amamentação ou de morte da mãe.

Características do leite humano

"A gordura do leite humano possui uma estrutura muito particular", aponta a pesquisadora. "Como cerca de 70% do ácido palmítico nela encontrada está na posição intermediária de triacilglicerol, a digestão da gordura é facilitada, aumentando a absorção, essencial para o melhor aproveitamento dos nutrientes do leite". De acordo com Roberta, a substância que mais se assemelha à gordura do leite humano é a banha (gordura suína).

"A principal diferença é que no caso do leite humano, a gordura é rica em ácidos graxos polinsaturados, que são imprescindíveis para o desenvolvimento neurológico e da visão do recém-nascido", explica. "Por isso, é feita a reação de interesterificação da banha com o óleo de soja, que incorpora ácidos graxos polinsaturados à gordura animal".

Gordura suína e o óleo de soja

A reação que produz a gordura é feita com dois componentes de fácil acesso no Brasil: a gordura suína e o óleo de soja. "O processo pode ser feito por meio de um catalisador químico, o metóxido de sódio, ou por enzimas, atualmente mais utilizadas por fornecerem um produto ambientalmente mais correto", descreve a zootecnista. "Na pesquisa, foi obtido o ponto de fusão ideal, além da consistência e da cristalização adequadas, que influenciam no armazenamento e aplicação do produto."

O sucedâneo da gordura do leite humano foi desenvolvido durante a pesquisa para a tese de doutorado de Roberta na FCF, orientada pelo professor Luiz Antonio Gioielli e apresentada em março deste ano. O estudo, feito no Laboratório de Tecnogia de Alimentos da FCF, teve a colaboração do Banco de Leite do Hospital Universitário (HU) da USP, que forneceu amostras para avaliação das propriedades do leite humano.

Leite artificial

No trabalho de pós-doutoramento, que se encontra na fase inicial, a pesquisadora irá produzir um leite com a gordura, que será liofilizado e aplicado em ratos recém-nascidos. "Os testes com animais servirão para verificar a absorção do leite, a absorção de gordura e cálcio, as perdas de cálcio nas fezes e o ganho de peso dos animais", descreve Roberta. "Com base nesses resultados, será possível avaliar a viabilidade de testar o produto em seres humanos, durante ensaios clínicos".

As experiências com ratos deverão ser feitas no Japão, onde existem equipamentos de laboratório que reproduzem mais fielmente as condições reais de amamentação. "A técnica tradicional, por gavagem, interfere no desenvolvimento do animal, o que poderia influenciar o resultado", acrescenta a pesquisadora. "O objetivo não é substituir o leite humano, mas criar uma alternativa para casos excepcionais".

De acordo com a zootecnista, já existem no mercado alguns produtos que servem como sucedâneos para o leite humano em casos excepcionais, mas que adotam outros tipos de gordura, principalmente de origem vegetal. "Entretanto, há casos de problemas de constipação e digestão entre recém-nascidos alimentados com o leite artificial", ressalta. "A presença de um lipídio estruturado poderá minimizar estes problemas".


Ver mais notícias sobre os temas:

Amamentação

Alimentação e Nutrição

Cuidados com o Recém-nascido

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2017 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.