Spray nasal baseado no sistema imunológico poderá ser a cura para a gripe

Imunidade em spray

Um spray nasal que imita o próprio sistema de defesa do nosso organismo poderá ser a resposta para combater e curar a gripe comum. A descoberta foi publicada no último exemplar da revista médica Chemistry & Industry.

O spray, produzido pela empresa Novabay, contém um análogo do N-Clorotaurino (NCT), um composto produzido pelos glóbulos brancos quando são eles atacados. O composto funciona criando uma camada de cloro natural ao redor de microorganismos como bactérias, vírus e fundos, matando-os.

Tratamento para a gripe comum

Atualmente não existe tratamento para a gripe comum, mas se as conversações entre a Novabay e a inglesa NHS, para iniciar os testes clínicos do spray nasal, tiverem sucesso, a cura definitiva da gripe poderá estar no horizonte.

O spray se mostrou efetivo contra a MRSA (uma infecção causada pela bactéria Staphylococcus aureus) em 88% dos casos. Os testes foram feitos em camundongos.

A era dos antibióticos se aproxima do fim

E, como o tratamento será baseado no princípio de funcionamento do nosso sistema imunológico, não há perigo de crescimento da resistência, como acontece com os antibióticos.

"Antibióticos são um beco sem saída - nós estamos perdendo todos os nossos antibióticos eficazes e nós simplesmente precisamos de alguma outra coisa," diz Ron Najafi, da Novabay.

Mas Ronald Eccles, da Universidade de Cardiff sugere cautela: "O próximo passo é ver o que acontece quando ele é aplicado no nariz de pacientes. Muitas substâncias, que funcionam in vitro contra vírus, não funcionam em testes clínicos em pacientes."


Ver mais notícias sobre os temas:

Infecções

Medicamentos

Vírus

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.