Ver:

 Temas
 Enfermidades





RSS Diário da Saúde

Twitter do Diário da Saúde

25/11/2014

"Supercentenários" não têm nenhum gene especial

Redação do Diário da Saúde

Passar dos 100 anos

O que é preciso para viver mais de 100 anos de idade?

Se você já ouviu falar que uma vida longa depende de algum "gene da longevidade", esqueça.

Deu em nada uma busca minuciosa por variantes genéticas da longevidade em 17 pessoas que superaram em muito o centenário - os chamados supercentenários, com idade média de 112 anos.

Estudos anteriores chegaram a identificar genes que codificam proteínas que poderiam desempenhar um papel importante na longevidade, incluindo o fator de crescimento 1 similar à insulina (IGF-1). Algumas pessoas têm uma variante do IGF-1 que se torna menos ativa ao longo do tempo, e isto poderia retardar o processo de envelhecimento.

Mas quando Stuart Kim e seus colegas da Universidade de Stanford (EUA) compararam os genomas de 16 mulheres e 1 homem com idades acima de 110 anos com os genomas de 34 pessoas com idades entre 21 e 79 anos, eles não encontraram diferenças significativas no IGF-1 ou em qualquer outro gene.

Supercentenária

Ironicamente, uma mulher "supercentenária" participante do estudo tem uma variante de um gene que os cientistas afirmam aumentar o risco de morte súbita por induzir ritmos cardíacos irregulares.

Mas Stuart Kim mantém sua fé na genética, e afirma que as diferenças nos genes ainda serão encontradas. "Estamos continuando nossa pesquisa com mais supercentenários e análises mais complexas," disse ele.

Outro gene, o SIRT-1 também já apontado como gene da longevidade, teve morte prematura há alguns anos.


Ver mais notícias sobre os temas:

Qualidade de Vida

Genética

Terceira Idade

Ver todos os temas

Mais lidas na semana:

Ciência começa a entender eficácia da Medicina Chinesa contra o câncer

O que é melhor: Meditação ou Férias?

Carne e barbatana de tubarão contêm altos níveis de neurotoxinas

Dor de cabeça: Conheça aquelas que exigem tratamento

Medicamento desenvolvido no Brasil combate origem da hipertensão