SUS terá capacitação para transplante após morte circulatória

Profissionais do SUS receberão capacitação para realizar transplantes com órgãos de doadores com o coração parado.

Esses pacientes sofreram a chamada morte circulatória, quando não há chances de sobrevivência. Mas existem técnicas que permitem o aproveitamento do coração e de outros órgãos sólidos, como pulmão e rins.

A capacitação será realizada por meio de um acordo assinado entre Brasil e Espanha. O documento prevê a formação de equipes de transplantadores em campos inéditos ou pouco explorados no país.

No Brasil, os transplantes só ocorrem após a confirmação da morte cerebral e com a permissão da família.

"Pretendemos conhecer melhor o desenvolvimento deste programa porque estão sendo desenvolvidos em populações que têm uma pirâmide populacional mais idosa. E como a mudança no Brasil do perfil etário também ocorre a cada dia, nós precisamos conhecer esses programas de ampliação do número de doadores através da morte circulatória, também. disse Heder Borba, coordenador geral do Sistema Nacional de Transplantes do Ministério da Saúde.

O Brasil é referência mundial em transplantes, com 95% dos procedimentos realizados de graça no SUS.


Ver mais notícias sobre os temas:

Transplantes

Sistema Circulatório

Coração

Ver todos os temas >>   


  

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.