Ver:

 Temas
 Enfermidades





RSS Diário da Saúde

Twitter do Diário da Saúde

22/07/2011

Tecnologia chega aos exames de vista

Redação do Diário da Saúde
Tecnologia chega aos exames de vista
Usando um controlador manual, o próprio paciente vai ajustando o sistema para que as imagens no espelho tenham a melhor qualidade possível.[Imagem: DigitalVision]

Precisão dos exames de vista

Oftalmologistas e engenheiros finalmente se uniram para trazer algum progresso tecnológico para os tradicionais exames de vista.

Dependente de aparelhos antiquados e das avaliações subjetivas do paciente em um determinado momento do dia, em condições que nem de longe reproduzem seu dia-a-dia, os exames quase nunca resultam em óculos que dão a melhor visão possível.

"Nós sabemos há muito tempo que muitas prescrições feitas pelos métodos tradicionais realmente não otimizam a visão do paciente, mas até agora nós não tínhamos uma forma de fazer medições mais precisas ou usar a informações para produzir melhores lentes," resume o Dr. Keith Thompson, do Instituto de Tecnologia da Geórgia, nos Estados Unidos.

Segundo os especialistas, hoje, um em cada sete exames têm que ser refeitos porque o paciente não fica bem com os óculos resultantes.

Foróptero

A própria tecnologia trouxe uma maior exigência para a visão das pessoas: "é necessário uma visão afiada para lidar com as telas dos telefones celulares e gastar horas nos seus computadores," diz o médico.

Por isto, Thompson e seus colegas resolveram usar a tecnologia para criar um aparelho para exames de vista capaz de fazer medições precisas das necessidades de ajustes dos pacientes.

A tecnologia de fabricação de lentes evoluiu muito nos anos recentes, permitindo a fabricação de lentes para óculos e lentes de contato com uma precisão de grau muito grande.

Mas os equipamentos para realizar os exames, e o próprio procedimento do exame, não acompanharam esses avanços. O foróptero, por exemplo, aquele aparelho que é colocado à frente dos olhos do paciente para testar os graus das lentes, mudou muito pouco desde sua introdução, no início do século passado.

Exame de vista com alta tecnologia

O novo equipamento é capaz de fazer medições contínuas ao longo da escala, não se sujeitando aos "degraus" de 0,25 grau dos aparelhos tradicionais.

Ele é baseado no Analisador de Visão Humphrey, um conceito introduzido nos anos 1970.

Usando algoritmos de computador que não estavam disponíveis nos anos 1970, a equipe reprojetou o sistema óptico Humphrey. O sistema original de cabos e polias usado para mover as lentes foi substituído por microcontroladores e atuadores de precisão.

O resultado é um aparelho no qual o paciente senta-se em uma cadeira e olha para imagens mostradas em um espelho de alta qualidade, projetado para equipar telescópios.

Usando um controlador manual, o próprio paciente vai ajustando o sistema para que as imagens no espelho tenham a melhor qualidade possível, tudo de maneira natural, com liberdade de movimento da cabeça, sem ficar preso atrás do foróptero.

O sistema mede continuamente a miopia, hipermetropia e o astigmatismo, detectando aberrações ópticas que o foróptero não consegue detectar.

Quando o paciente fica satisfeito com a visão, o médico aperta um botão e imprime a receita com o grau totalmente otimizado.


Ver mais notícias sobre os temas:

Equipamentos Médicos

Olhos e Visão

Trabalho e Emprego

Ver todos os temas

Mais lidas na semana:

Chá verde melhora conectividade do cérebro

Terapias contra artrite reumatoide podem causar diabetes, alerta médica

Vaginas produzidas em laboratório são implantadas em pacientes

Xixi com cloro da piscina faz mal mesmo

Brasil desvaloriza parto normal e sagra-se campeão mundial de cesáreas