Tentar desmentir boatos pode ter efeito inverso

O poder dos boatos

Tentativas de desmentir boatos trazem um risco alto de apenas reforçá-los.

Pelo menos no caso dos boatos políticos.

Esta é a conclusão de um estudo realizado pelo cientista político Adam Berinsky, pesquisador do MIT (EUA).

Berinsky entrevistou cerca de 2.000 eleitores sobre o boato de que o plano nacional de saúde criado pelo governo do presidente norte-americano Barack Obama estabeleceria "comitês da morte".

Esses grupos, diziam os boatos, teriam o poder de decidir quais cidadãos deveriam ter acesso a tratamentos médicos.

Oposição ao boato e verdade da oposição

Berinsky testou três modelos de desmentir os boatos - um neutro, um atribuído ao Partido Democrata, do governo, e um ao Partido Republicano, da oposição.

Em todos os casos a tentativa de desmentir o boato levou a um aumento tanto na taxa de rejeição quanto na de aceitação do rumor, dependendo do perfil dos eleitores entrevistados.

Ou seja, com o desmentido os eleitores que apoiam o governo passaram a duvidar mais do boato, enquanto os eleitores contrários ao governo passaram a acreditar mais no boato.

O único modelo que obteve efeito considerável para minar a credibilidade do boato, em todos os perfis, foi o atribuído à oposição. O modelo menos eficaz foi o que atribui o desmentido às fontes oficiais do partido do governo.

O estudo será publicado no periódico British Journal of Political Science.


Ver mais notícias sobre os temas:

Comportamento

Relacionamentos

Emoções

Ver todos os temas >>   


  

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.