Tomate púrpura contém antioxidantes que previnem o câncer

Tomates geneticamente modificados

Pesquisadores do John Innes Centre, na Grã-Bretanha, em colaboração com outros centros de pesquisa europeus, participantes do projeto Flora, produziram tomates geneticamente modificados ricos em antocianinas, uma categoria de antioxidantes pertencente à classe dos flavonóides.

Estes tomates, adicionados à dieta de camundongos suscetíveis ao desenvolvimento de câncer, mostraram um significativo efeito protetor contra a doença, aumentando a sobrevida dos animais. A pesquisa foi publicada no exemplar de hoje da revista Nature Biotechnology.

Antioxidantes e flavonóides

Este é um passo significativo no estudo dos antioxidantes, particularmente dos flavonóides, largamente considerados como uma ferramenta útil na prevenção de um grande número de doenças, de problemas cardiovasculares até certos tipos de câncer.

A dieta da maioria das pessoas vivendo hoje no mundo ocidental não parece ser suficiente para garantir uma ingestão adequada dessas substâncias, presentes em muitas frutas e vegetais. O objetivo do projeto Flora é entender os mecanismos de ação dos antioxidantes, tentando descobrir formas de aumentar seu consumo.

Tomate púrpura

A fim de obter um fruto particularmente rico em antocianinas, que deram aos tomates uma cor púrpura, os pesquisadores utilizaram dois genes da flor boca-de-leão. Os dois genes são responsáveis pela pigmentação das flores e, quando inseridos em outras plantas, mostraram-se como uma combinação perfeita para a produção das antocianinas.

Entretanto, apesar dos resultados promissores, os cientistas preferem manter cautela. "De fato, é um teste piloto, um estudo preliminar útil para validar a hipótese de obtenção de benefícios à saúde a partir da suplementação da dieta com alimentos [geneticamente] modificados. Embora a sobrevida dos camundongos tenha aumentado significativamente quando eles ingeriram os tomates púrpura, nós continuamos sem saber como ele funciona," diz o pesquisador Marco Giorgio.

A pesquisa ainda não incluiu estudos de toxicidade do tomate púrpura geneticamente modificado, o que significa que testes em humanos não serão feitos a curto prazo. O próximo passo, segundo Giorgio, será investigar os efeitos dos tomates púrpuras sobre diferentes tipos de células tumorais e descobrir o seu mecanismo de ação.


Ver mais notícias sobre os temas:

Prevenção

Plantas Medicinais

Alimentação e Nutrição

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2017 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.