Você sabia que existe transplante de ossos?

Doação de ossos
Um único doador pode beneficiar até 30 pacientes. O processo é gratuito e a aparência do doador é preservada com materiais sintéticos.
[Imagem: Into/CIHDOT]

Transplante de ossos

Você já deve ter ouvido falar em transplante de medula, coração, córnea, rins e fígado.

Mas sabia que existe também o transplante de ossos?

Os ossos de um único doador podem beneficiar aproximadamente 30 pessoas - as doações são sempre post mortem.

O Banco de Tecidos Músculoesqueléticos do Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia (Into), é responsável pela captação, processamento e distribuição de ossos, tendões e meniscos para utilização em cirurgias de transplantes na área da ortopedia e odontologia.

Localizado no Rio de Janeiro, o Instituto possui equipes preparadas para realizar captações 24 horas por dia, 365 dias do ano.

Como funciona o processo de doação de ossos?

Apesar de pouco conhecidos, uma coisa é comum entre os transplantes de ossos e os demais tipos de transplantes: parece haver uma falta crônica de doadores.

Familiares de pacientes hospitalizados que venham a falecer podem fazer a doação solicitando ao médico que acompanha o caso que comunique à Central de Transplante do Rio de Janeiro. Os telefones do programa são: 155 (Estado do Rio de Janeiro) e 08002857557 (demais Estados).

Feita a notificação, um funcionário do programa vai até o hospital para fazer uma avaliação sobre a possibilidade da doação, que inclui a realização de um questionário de triagem sobre o possível doador. Após aprovação, o Banco de Tecidos é informado e desloca sua equipe para a unidade de saúde.

O corpo do doador passa por uma cuidadosa reconstrução com material sintético, de modo que a aparência do doador permanece preservada.

Quem pode doar

Pessoas com idade entre 18 e 70 anos, que não tenham sido vítimas de câncer ósseo, osteoporose ou doenças infecciosas transmitidas através do sangue (como hepatite, AIDS, malária) podem ser doadores de ossos.

Não é permitida doação de pessoas que, há menos de um ano, tiverem feito tatuagem, uso prolongado de corticoides, acupuntura ou recebido transfusão sanguínea. É muito importante que os futuros doadores expressem, em vida, sua vontade de doar ossos já que, após a confirmação do falecimento, a autorização é dada pela família.

A doação só pode ser feita depois de confirmada a morte do doador, sendo ela encefálica ou cardíaca, pelo médico responsável, e com o consentimento da família.

Não há qualquer custo para o doador. Todo o processo realizado pelo Banco de Tecidos do Into é gratuito. Também não há custo para as famílias dos receptores.

Quem precisa de um transplante ósseo?

O transplante de ossos é necessário para pacientes que apresentem perdas ósseas decorrentes de tumores, trocas de próteses e traumatismo, além de pacientes portadores de deformidades congênitas e de coluna, problemas odontológicos e outros.

A disponibilização dos ossos para transplante segue a ordem cronológica de uma fila nacional. Portanto, a doação não pode ser feita para um paciente específico.


Ver mais notícias sobre os temas:

Transplantes

Ossos e Articulações

Cirurgias

Ver todos os temas >>   


  

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2017 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.