USP terá primeiro centro de pesquisas em canabidiol do Brasil

Maconha para o bem

A Faculdade de Medicina da USP (Universidade de São Paulo) terá o primeiro centro do Brasil voltado a pesquisas em canabidiol, uma substância derivada da maconha.

O centro, que será instalado no campus de Ribeirão Preto, no interior do estado, deverá estar pronto no segundo semestre deste ano.

Há décadas, os cientistas vêm obtendo bons resultados no uso do canabidiol para tratar pacientes com esquizofrenia, doença de Parkinson e epilepsia. Em estudos clínicos, o canabidiol se mostrou eficaz na redução de sintomas psicóticos em pacientes com doenças mentais.

O estudo na USP vai começar analisando a resposta ao canabidiol em mais de 120 crianças e adolescentes que sofrem com epilepsia refratária, ou seja, quando medicamentos tradicionais não fazem efeitos. Nessa pesquisa, o novo centro terá uma ala destinada à pesquisa básica de laboratórios e outra voltada à pesquisa clínica com os pacientes e voluntários.

Canabidiol no Brasil

Antes proibido, o canabidiol recebeu autorização da Anvisa em março do ano passado.

Com isto, passou a ser permitida a prescrição médica e a importação, por pessoa física, de medicamentos e produtos com canabidiol e tetrahidrocanabinol (THC) em sua formulação para uso próprio em tratamentos de saúde.

O canabidiol, no entanto, ainda não está registrado no país, pois não teve a sua segurança e eficácia comprovadas pela vigilância sanitária brasileira. Para isso, os pesquisadores da USP vão usar o centro para testar a substância e, futuramente, disponibilizá-la para a população.


Ver mais notícias sobre os temas:

Desenvolvimento de Medicamentos

Neurociências

Plantas Medicinais

Ver todos os temas >>   


  

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2017 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.