Ver:

 Temas
 Enfermidades





RSS Diário da Saúde

Twitter do Diário da Saúde

15/02/2016

Vacina contra a dengue poderá ser adaptada para o zika

Com informações da Agência Fapesp
Vacina contra a dengue poderá ser adaptada para o zika
Uma das ideias da equipe do Instituto Butantan é inserir no vírus vacinal da dengue um gene codificador de uma proteína-chave do vírus zika. Outra ideia é criar um vírus zika atenuado. [Imagem: Eduardo Cesar/FAPESP]

Vacina contra zika

A tecnologia desenvolvida na formulação da vacina brasileira contra a dengue poderá ser adaptada para criar um imunizante contra o vírus zika.

A boa notícia foi dada pelo diretor do Instituto Butantan, Jorge Kalil.

Segundo ele, uma das possibilidades seria inserir no vírus vacinal da dengue um gene codificador de uma proteína-chave do vírus zika. Outra ideia seria criar um vírus zika atenuado, usando método semelhante ao empregado no desenvolvimento da vacina da dengue.

O Instituto Butantan, que integra a recém-criada Rede Zika, uma força-tarefa apoiada pela Fundação de Apoio à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP) e formada por cerca de 40 laboratórios, também já deu início a pesquisas voltadas ao desenvolvimento de um soro que poderia ser aplicado em gestantes infectadas para combater o vírus zika circulante no organismo antes que ele cause danos ao feto.

Contudo, enquanto a última etapa dos testes clínicos da vacina contra a dengue já começaram, uma vacina contra a zika teria que iniciar seu próprio percurso de avaliações e ensaios.

Anticorpos neutralizantes

Sobre a disseminação do vírus zika pelo país, Kalil afirmou que a principal preocupação no momento é capacitar os centros de saúde para fazer o diagnóstico com precisão, distinguindo os casos de zika e dengue.

Enquanto isso, os cientistas poderão se dedicar aos primeiros estudos para o desenvolvimento de tratamento contra o zika.

"Uma das ideias é utilizar o mesmo arcabouço viral da vacina contra a dengue, que é o próprio vírus da dengue atenuado, e inserir o gene que codifica uma proteína do envelope viral do zika (bicamada lipídica que fica na parte mais externa do vírus).

"Já se sabe que os anticorpos que protegem contra essas doenças virais - os chamados anticorpos neutralizantes - são dirigidos contra proteínas do envelope viral. Outra possibilidade seria criar uma vacina usando o próprio vírus zika atenuado por um método parecido com o empregado para criar a vacina contra a dengue. Vamos testar diferentes possibilidades," informou ele.

Sobre o soro contra o vírus zika, Kalil afirmou que a ideia é isolar antígenos específicos para imunizar cavalos. "Então temos de observar se o animal produz quantidades significativas de anticorpos neutralizantes, isolar e purificar essas imunoglobulinas em nossa fábrica - algo semelhante ao que fazemos para produzir soros contra toxinas e venenos. Depois é necessário obter fragmentos dessa imunoglobulina de cavalos que funcionem como anticorpos neutralizantes e possam ser injetados na mulher para combater o vírus. Já começamos a imunizar camundongos e já estamos desenvolvendo testes para avaliar se o anticorpo produzido é do tipo neutralizante. As primeiras etapas estão em andamento," concluiu.


Ver mais notícias sobre os temas:

Vacinas

Vírus

Epidemias

Ver todos os temas

Mais lidas na semana:

O que é melhor: Meditação ou Férias?

Os muitos mitos sobre as Dores nas Costas

Carne e barbatana de tubarão contêm altos níveis de neurotoxinas

Dor de cabeça: Conheça aquelas que exigem tratamento

Medicamento desenvolvido no Brasil combate origem da hipertensão