Vacina contra gripe da estação falha no hemisfério Norte

Vacina ineficaz

A vacina contra a gripe sazonal desta estação - aplicada no hemisfério Norte, onde agora é inverno - praticamente não foi capaz de proteger as pessoas contra a principal cepa do vírus da gripe, afirmaram as autoridades de saúde do Reino Unido.

Por causa disso, os médicos estão sendo orientados a usar drogas antivirais rapidamente para proteger os pacientes mais vulneráveis.

As evidências mostram, segundo as autoridades, que a vacina antigripal evitou que apenas 3 em cada 100 pessoas vacinadas desenvolvessem os sintomas da gripe.

Mas a PHE (Public Health England) afirma que as pessoas ainda devem se vacinar para se protegerem contra outras cepas da gripe às quais forem expostas.

H3N2

Os vírus causadores da gripe estão em constante mutação, o que torna difícil desenvolver uma vacina - é por isso que uma nova vacina é necessária a cada ano.

Há um ano, a Organização Mundial da Saúde estabeleceu as três cepas mais prováveis de gripe que circulariam neste inverno no hemisfério Norte.

Mas a principal delas apresentou mutações tão significativas que a vacina parece oferecer pouca proteção.

Ela funciona em apenas 3% dos casos - a vacina contra a gripe normalmente funciona em 50% dos vacinados.

A cepa do vírus em questão, o H3N2, é particularmente preocupante porque pode ser fatal para os idosos.

"Temos visto um aumento no número de mortes em excesso, provavelmente o maior aumento que vimos desde 2008-9, então eu tenho certeza que uma contribuição significativa para isto foi a vacina não ser tão eficaz como é habitualmente," disse o Dr. Nick Phin, da Saúde Pública da Inglaterra em entrevista à BBC.


Ver mais notícias sobre os temas:

Vacinas

Vírus

Prevenção

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.