Ver:

 Temas
 Enfermidades





RSS Diário da Saúde

Twitter do Diário da Saúde

31/08/2011

Por que a viagem de volta parece ser mais curta do que a ida?

Redação do Diário da Saúde

A volta é mais perto do que a ida

Ao voltar de uma viagem a um local onde você nunca fora, é provável que você tenha sentido que a viagem de volta parece ser muito mais rápida do que a viagem de ida.

O fenômeno é largamente relatado, seja em viagens de carro, de ônibus ou de avião. É claro que, na verdade, nos dois trajetos, você percorre a mesma distância, em um tempo muito semelhante.

Então, por que essa diferença em nossas percepções?

É a viagem de ida que é mais longa

Até agora, a explicação mais aceita para a sensação de uma viagem de volta mais curta é que o caminho é mais conhecido e, assim, mais previsível do que a viagem de ida.

Mas pesquisadores acabam de demonstrar que essa explicação não consegue dar conta do fenômeno.

"O 'efeito viagem de retorno' também ocorre quando os entrevistados tomam um caminho diferente, mas sem diferença significativa de distância. Você não precisa conhecer um caminho para experimentar o efeito," afirma Michael Roy, coautor da pesquisa, publicada na revista Psychonomic Bulletin & Review.

Na realidade, o estudo mostra que efeito "viagem de volta mais curta" é causado pelas diferenças em nossas expectativas, e não pela familiaridade com o caminho.

O que ocorre é que as pessoas subestimam a duração da viagem de ida, e isto se traduz numa demora maior do que a esperada.

Ou seja, não é a viagem de volta que é mais rápida, é a viagem de ida que dura mais do que esperávamos.

E essa sensação de demora excessiva na ida é repassada para a viagem de volta, ampliando o efeito.

Expectativas

Uma estimativa excessivamente otimista do tempo de viagem inicial, portanto, leva à ilusão da viagem de volta ser mais curta.

"Com base na sensação da ida, o viajante espera que a viagem de volta seja tão longa quanto ele sentiu que a de ida o foi, e o que ocorre é que ela acaba por ser mais curta do que o esperado," diz Niels van de Ven, da Universidade Tilburg, na Holanda.

Durante os experimentos, que envolveram 350 viajantes em diversas modalidades de transporte, quando um grupo de participantes foi avisado que o próximo trecho da viagem - o trecho de retorno - seria mais longo, o efeito viagem de volta desapareceu.

Ironicamente, dizer aos participantes que o próximo trecho seria muito longo levou-as a sentir como se a viagem tivesse levado menos tempo, invertendo o efeito.

Duração de outras tarefas

Os pesquisadores afirmam que suas conclusões podem ser capazes de explicar mais do que apenas o efeito 'viagem de volta mais curta'.

"Essas descobertas sobre o efeito viagem de volta pode nos ajudar a fazer novas previsões sobre como as pessoas vivenciam a duração das tarefas, mesmo aquelas não relacionadas a viagens," concluem eles.


Ver mais notícias sobre os temas:

Emoções

Sentimentos

Memória

Ver todos os temas

Mais lidas na semana:

Carne e barbatana de tubarão contêm altos níveis de neurotoxinas

Os muitos mitos sobre as Dores nas Costas

Dor de cabeça: Conheça aquelas que exigem tratamento

Medicamento desenvolvido no Brasil combate origem da hipertensão

Carne vermelha todo dia faz mal? Especificamente que mal?