Videogames de estratégia melhoram habilidades cognitivas de idosos

Videogames de estratégia melhoram habilidades cognitivas de idosos

[Imagem: UIUC/Rise of the Nations]

Videogames para a terceira idade

Se você tem mais de 60 anos de idade e anda preocupado com a sua memória e a sua capacidade de aprendizado, passar um pouco mais de tempo com seus netos pode valer a pena: mas só se eles lhe deixarem usar o videogame.

Um novo estudo, feito na Universidade de Illinois (Estados Unidos) mostrou que as pessoas na casa dos 60 e dos 70 anos de idade apresentam significativas melhorias em várias funções cognitivas depois de usar videogames de estratégia, principalmente aqueles que lidam a construção de cidades, países e com a expansão territorial.

Benefícios do uso de videogames em idosos

Este é o primeiro estudo sobre os benefícios do uso de videogames em idosos e o primeiro a demonstrar resultados tão promissores sobre o uso de videogames na aquisição de habilidades cognitivas que não são diretamente ensinadas pelo jogo.

Vários estudos têm demonstrado que é possível melhorar habilidades cognitivas, como a memória de curto prazo, por exemplo. Contudo, os participantes só se tornam melhores naquela tarefa em que foram treinados.

"Quando você treina alguém em uma tarefa, ele tende a melhorar naquela tarefa, qualquer que seja ela, mas normalmente a pessoa não transfere muito essa nova capacidade além daquela situação particular que ele aprendeu," explica o professor Arthur Kramer.

Desenvolvimento de habilidades cognitivas

Kramer e seus colegas então se dedicaram a estudar um processo de aprendizado mais integrado, que possa usar um ambiente de treinamento para desenvolver faculdades cognitivas que possam ser utilizadas na vida diária.

Para isso, eles começaram a estudar o impacto dos videogames de estratégia sobre aquelas capacidades cognitivas que mais decaem com a idade.

"Pessoas idosas tendem a ter pior desempenho em coisas chamadas 'processos executivos de controle.' Esses processos incluem coisas como agendamento, planejamento, memória, fazer várias coisas ao mesmo tempo e lidar com ambigüidades," explica Kramer.

Videogames de estratégia

Os jogos de estratégia lidam com todas essas habilidades, porque o participante precisa pensar e agir como comerciante, como militar, como educador, enfim, ele deve colocar-se no papel de todos os agentes necessários para manter o bem-estar do seu país.

Os pesquisadores descobriram que o treinamento no jogo de estratégia melhorou virtualmente todos os aspectos cognitivos testados nos participantes.

Os praticantes do jogo tornaram-se significativamente melhores e mais rápidos para alternar entre tarefas. Eles tiveram também melhorias significativas na memória de trabalho e no raciocínio. Benefícios em menor escala também foram detectados na memória de curto prazo e na observação de detalhes visuais.

Efeito dose-resposta

Todos os que se saíram bem no jogo também tiveram os maiores índices de melhoria na capacidade de passar rapidamente de uma tarefa para outra. Eles também tendem a se sair melhores nos testes de memória.

"Em terminologia médica, esses podem ser efeitos dose-resposta," diz Kramer. "Quando mais medicamento - ou, neste caso, quando mais treino no videogame de estratégia - maiores são os benefícios."


Ver mais notícias sobre os temas:

Terceira Idade

Diversão

Memória

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.