Ver:

 Temas
 Enfermidades





RSS Diário da Saúde

Twitter do Diário da Saúde

02/04/2013

Videogames violentos fortemente associados com delinquência juvenil

Redação do Diário da Saúde
Videogames violentos fortemente associados com delinquência juvenil
"Se você tem uma criança que é antissocial, que é um pouco vulnerável às influências, dar-lhes algo que lhe permita escapar em si mesma por um longo período de tempo não é uma coisa saudável." [Imagem: Iowa State University]

Violência somada

Um novo estudo sugere que há uma forte ligação entre os jogos de vídeo violentos e o comportamento agressivo em crianças e jovens com histórico de violência.

Matt DeLisi, da Universidade do Estado de Iowa (EUA), afirma que a pesquisa mostra uma forte ligação mesmo quando se leva em conta fatores como história de violência e traços psicopáticos entre os delinquentes juvenis.

Segundo ele, os críticos sempre afirmam coisas como "Bem, provavelmente não são os videogames, provavelmente é [o quanto] antissociais eles são".

"Agora podemos abordar isso diretamente, porque nós controlamos [o estudo] para um monte de coisas que nós sabemos que são importantes," diz DeLisi.

"Mesmo se você leva em conta o sexo, idade, raça, a idade em que [esses jovens] foram chamados pela primeira vez pelo tribunal juvenil, há um efeito muito poderoso. Mesmo com tudo isso, a medição do [impacto dos] videogames ainda é importante," completou.

Os resultados não são totalmente inesperados, mas surpreenderam Douglas Gentile, que estudou os efeitos da exposição aos videogames violentos em relação a agressões menos graves, como bater, fazer provocações e xingamentos - em seu estudo, ele concluiu que videogames não são bons ou ruins - podem ser as duas coisas.

"Eu não esperava ver tamanho efeito quando vamos para um nível sério de delinquência e agressão, porque os jovens que cometem esse nível de agressão têm um monte de coisas acontecendo de errado com eles. Eles geralmente têm uma série de fatores de risco e muito poucos fatores de proteção em suas vidas," diz Gentile.

O estudo analisou o nível de exposição aos videogames violentos entre 227 menores infratores. Em média, eles cometeram quase nove atos graves de violência, como participar de quadrilhas, bater em um dos pais ou atacar outra pessoa.

Os resultados mostram que tanto a frequência de jogo quanto a afinidade pelos jogos violentos foram fortemente associadas com comportamentos delinquentes e violentos.

O que os pais devem fazer?

Craig Anderson, professor de psicologia e diretor de um Centro para o Estudo da Violência, ressalta que a exposição os jogos violentos não é a única causa da violência, mas este estudo mostra que é um fator de risco.

Só porque uma criança joga um videogame violento não significa que ela vai agir violentamente.

Os pesquisadores dizem que, se os pais perceberem algo, eles precisam tomar consciência do que seus filhos estão jogando e avaliar como isso pode influenciar seu comportamento.

"Eu penso que os pais precisam ser verdadeiros e honestos sobre quem seus filhos são em termos de seu funcionamento psiquiátrico," disse DeLisi.

"Se você tem uma criança que é antissocial, que é um pouco vulnerável às influências, dar-lhes algo que lhe permita escapar em si mesma por um longo período de tempo não é uma coisa saudável," concluiu.


Ver mais notícias sobre os temas:

Violência

Diversão

Educação

Ver todos os temas

Mais lidas na semana:

O que é melhor: Meditação ou Férias?

Os muitos mitos sobre as Dores nas Costas

Carne e barbatana de tubarão contêm altos níveis de neurotoxinas

Dor de cabeça: Conheça aquelas que exigem tratamento

Medicamento desenvolvido no Brasil combate origem da hipertensão