Vírus eliminam câncer em experimentos em animais

Vírus oncolíticos

Um tratamento experimental usando uma técnica de "cavalo de troia" eliminou totalmente o câncer de próstata em camundongos.

Os cientistas enviaram vírus como agentes invasores disfarçados ao interior de células doentes.

Diferentes vírus, capazes de matar células cancerígenas, foram injetados no sistema imunológico de roedores com o objetivo de introduzi-los dentro de tumores.

Uma vez no interior, dezenas de milhares de cepas destes vírus foram liberados para tentar "matar o câncer" - esses microrganismos são conhecidos como vírus oncolíticos.

Cavalo de troia

Os resultados, publicados no periódico científico Cancer Research, mostram que o experimento foi bem-sucedido.

Embora analistas tenham classificado a pesquisa como "animadora", contudo, muitos experimentos ainda serão necessários antes que os testes sejam repetidos em humanos, o que incluiu o estudo de eventuais efeitos colaterais dos vírus.

A técnica "cavalo de troia" - uma referência à mítica batalha em que os gregos entraram na cidade de Troia escondidos no interior de um grande cavalo - não é nova no tratamento médico.

Mas o principal desafio da técnica é a profundidade necessária dentro do tumor para que os vírus sejam eficazes o suficiente.

Onda de defesa

Os cientistas estão trabalhando agora com a lógica de uma "onda".

Após tratamentos com radioterapia e quimioterapia, os tecidos do paciente ficam danificados, e uma grande quantia de glóbulos brancos é enviada ao local para ajudar a reparar o estrago.

"Estamos surfando nesta onda para introduzir o número maior possível de glóbulos brancos levando os vírus capazes de explodir os tumores até o coração desses tumores", explica Claire Lewis, da Universidade de Sheffield (Reino Unido.

Sua equipe injetou glóbulos brancos contendo poucos de vírus nos camundongos dois dias após um ciclo de quimioterapia. Após entrarem no tumor, os vírus se replicam e em apenas 12 horas os glóbulos brancos explodem e expelem mais de 10 mil vírus cada, infectando e matando as células cancerígenas.

Ao final do ciclo de 40 dias do estudo, todos os camundongos que receberam o tratamento ainda estavam vivos e sem sinais dos tumores.

Uma pesquisa similar descobriu recentemente que o vírus da vacina contra a varíola ataca e destrói células cancerígenas, eliminando o problema da penetração.


Ver mais notícias sobre os temas:

Câncer

Vírus

Sistema Imunológico

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.