Vírus geneticamente modificado vai tratar problemas do coração

Vírus geneticamente modificado vai tratar problemas do coração
A técnica é conhecida como terapia genética, por induzir alterações nos genes do paciente.
[Imagem: Imperial College]

Terapia genética

Médicos e cientistas vão testar um vírus geneticamente modificado para tratar a insuficiência cardíaca em pacientes humanos.

Pesquisadores do Imperial College de Londres chegaram à conclusão de que os níveis da proteína SERCA2a são mais baixos em pacientes com insuficiência cardíaca.

Eles então modificaram geneticamente um vírus para que este insira no paciente um gene que o torna capaz de produzir uma maior quantidade da proteína.

A técnica é conhecida como terapia genética, por induzir alterações nos genes do paciente.

O vírus será liberado no músculo cardíaco de 200 pacientes por meio de um tubo inserido pela perna.

"Nós acreditamos que este é um tratamento que pode melhorar a qualidade de vida de muitas pessoas", diz Sian Harding, coordenador do estudo.

O médico Alexander Lyon, cardiologista no Royal Brompton Hospital, onde alguns pacientes vão receber o vírus modificado, disse que este é o primeiro teste de terapia genética para tratar insuficiência cardíaca.

"Nosso objetivo é lutar contra insuficiência cardíaca revertendo algumas mudanças moleculares que ocorrem quando o coração falha", disse o médico cardiologista Alexander Lyon, membro da equipe.

Apesar de existirem tratamentos, não existem medicamentos capazes de restaurar a função cardíaca de pacientes que sofrem de problemas graves no coração.


Ver mais notícias sobre os temas:

Coração

Vírus

Genética

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.