Vírus da gripe espalha-se pela simples respiração

Vírus da gripe espalha-se pela simples respiração
A equipe desenvolveu um equipamento bem esquisito - mas prático - para medir tudo o que sai do sistema respiratório dos pacientes com gripe.
[Imagem: University of Maryland]

Gripe transmitida pela respiração

É mais fácil espalhar o vírus da gripe do que se pensava.

Os cientistas consideravam que a gripe seria transmitida basicamente pela exposição a gotículas de tosse ou espirros de uma pessoa infectada, ou ao tocar superfícies contaminadas - sendo que a gripe pode ser transmitida mesmo antes que os sintomas apareçam.

Contudo, um experimento inédito, feito em um equipamento desenvolvido especificamente para isso, mostrou que podemos passar a gripe para os outros simplesmente respirando.

"Nós descobrimos que os pacientes com gripe contaminam o ar ao redor deles com vírus infecciosos apenas respirando, sem tossir nem espirrar. Pessoas com gripe geram aerossóis infecciosos, pequenas gotículas que permanecem suspensas no ar durante um longo período de tempo, mesmo quando não tossem, e especialmente durante os primeiros dias da doença.

"Assim, quando alguém está ficando gripado, deve ir para casa e não permanecer no local de trabalho e infectar os outros," explicou o Dr. Donald Milton, da Universidade de Maryland (EUA).

Vírus da gripe nos aerossóis

O Dr. Milton e sua equipe desenvolveram um aparelho para capturar e caracterizar o vírus da gripe no ar. Eles então avaliaram 142 casos confirmados de pessoas com gripe, durante a respiração natural, fala, tosse e espirros espontâneos no primeiro, segundo e terceiro dias após o início dos sintomas.

A análise dos vírus recuperados dessas amostras mostrou que um número significativo de pacientes com gripe exala vírus infecciosos - e não meramente RNA detectável - em partículas de aerossol pequenas o suficiente para apresentarem um risco de transmissão pelo ar.

Surpreendentemente, 48% das 23 amostras de aerossol fino coletadas na ausência de tosse apresentaram RNA viral detectável e a larga maioria delas (8 em 11) continha vírus infeccioso, sugerindo que a tosse não é necessária para a geração de aerossóis infecciosos nas gotículas finas produzidas pela respiração.

Além disso, os poucos espirros naturais observados durante os experimentos não foram associados a contagens maiores de cópias de RNA viral nos aerossóis grossos ou finos, sugerindo que os espirros não contribuem de forma importante para a aspersão de vírus da gripe pelos aerossóis.

"Os resultados do estudo sugerem que manter as superfícies limpas, lavar as mãos o tempo todo e evitar as pessoas que estão tossindo não oferece proteção total contra a gripe," disse a pesquisadora Sheryl Ehrman, da Universidade Estadual de San Jose. "Ficar em casa e fora dos espaços públicos é o que pode fazer a diferença na propagação do vírus da gripe".


Ver mais notícias sobre os temas:

Infecções

Contaminação

Vírus

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2018 www.diariodasaude.com.br. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.