Vírus H7N9 que só infectava aves sofre mutação e pode contaminar humanos

A Organização Mundial da Saúde (OMS) informa que o vírus H7N9, que até então só afetava aves, sofreu mutações para uma forma capaz de infectar as pessoas.

"Foi detectada uma mutação do vírus que permite a infecção em mamíferos", disse o porta-voz da OMS, Gregory Hartl. "Aparentemente a mutação facilita a infecção em humanos."

Já são nove os casos confirmados pelas autoridades chinesas de pessoas infectadas pelo vírus H7N9, com três mortes.

No entanto, o porta-voz da ONU disse que "não há qualquer prova" de contágio entre pessoas. Segundo ele, uma das probabilidades é que a infecção "seja ambiental". Se este for o caso, há uma chance de que a doença possa se esgotar e nunca sofrer mutação total para uma forma humana de gripe.

Por outro lado, o porta-voz considerou de "moderada a alta" a possibilidade de novas infecções de humanos.

As autoridades sanitárias chinesas não conseguiram estabelecer relações epidemiológicas entre os infectados associando os casos às áreas geográficas. Há estudos sobre dois casos de pessoas que mantiveram contatos com aves e dois com porcos. A possibilidade de os suínos serem a fonte de contágio não foi confirmada.

O especialista Ab Osterhaus, do Erasmus Medical Centre (Holanda), que está analisando o DNA do H7N9, afirmou que as sequências genômicas mostram mutações genéticas que devem colocar as autoridades em alerta, justificando maior vigilância em animais e humanos.

"O vírus de certa forma já se adaptou a espécies mamíferas e a seres humanos, então desse ponto de vista é preocupante", disse ele à agência Reuters.

Os primeiros dados indicam que o H7N9 produz sintomas brandos nas aves, o que pode dificultar sua detecção.

Contudo, segundo os especialistas, isto não significa que, ao atingir os humanos, o vírus produza apenas uma gripe leve - na verdade, os primeiros casos apresentam uma taxa de mortalidade muito elevada (30%).

Outras cepas de gripe aviária, como a H5N1, têm circulado por muitos anos e podem ser transmitidas de ave para ave, e das aves para o ser humano, mas não de humano para humano.

No ano passado, uma polêmica internacional envolveu o trabalho de dois grupos de cientistas que induziram mutações genéticas em laboratório que tornaram o vírus H5N1 transmissível entre mamíferos.

Não há registro de trabalhos semelhantes com a nova cepa H7N9.


Ver mais notícias sobre os temas:

Vírus

Infecções

Epidemias

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.