Ver:

 Temas
 Enfermidades





RSS Diário da Saúde

Twitter do Diário da Saúde

27/09/2012

Vírus poderão ser usados para tratar acnes

Redação do Diário da Saúde
Vírus poderão ser usados para tratar acne
Os fagos que atacam as bactérias da acne são todos muito semelhantes, partilhando mais de 85% do seu DNA, um grau inédito de semelhança entre vírus.[Imagem: Marinelli et al./mBio]

Fagos contra bactérias

Cientistas isolaram e estudaram os genomas de 11 vírus, conhecidos como fagos, que podem infectar e matar a bactéria Propionibacterium acnes, causadora das acnes, ou espinhas.

O estudo abre caminho para terapias tópicas que usem vírus ou produtos virais para tratar esse problema de pele, que afeta particularmente os adolescentes.

"Há duas direções potenciais bastante óbvias que poderiam tirar proveito desta pesquisa," disse Graham Hatfull, da Universidade de Pittsburgh, orientador do estudo. "A primeira é a possibilidade de utilizar os fagos diretamente como uma terapia para a acne. A segunda é a possibilidade de utilizar os componentes derivados dos fagos."

Bactéria da acne

A P. acnes é uma moradora normal da pele humana, mas sua população aumenta substancialmente durante a puberdade, provocando uma resposta inflamatória que pode levar ao surgimento das acnes.

Embora antibióticos possam ser eficazes no tratamento da acne, já surgiram cepas da P. acnes resistentes, mostrando a necessidade de terapias melhores.

Diversidade genética

A pesquisadora Laura Marinelli isolou fagos e bactérias P. acnes de voluntários, com e sem acnes e, em seguida, sequenciaram os genomas dos fagos.

O que eles descobriram nos genomas os surpreendeu.

Os fagos são todos muito semelhantes, partilhando mais de 85% do seu DNA, um grau inédito de semelhança entre vírus, que geralmente apresentam uma grande diversidade.

Esta falta de diversidade genética sugere que o surgimento de resistência a terapias antimicrobianas baseadas em fagos é menos provável, segundo os cientistas.

Terapia anti-acne

Todos os fagos possuem um gene que produz uma proteína chamada endolisina, uma enzima que se acredita quebrar as paredes celulares bacterianas, matando as bactérias.

Enzimas como esta são usados em outras aplicações, diz Hatfull, sugerindo que a endolisina dos fagos também pode ser útil como um agente terapêutico tópico anti-acne.

O estudo foi publicado na mBio, uma revista de acesso aberto da Sociedade Americana de Microbiologia.


Ver mais notícias sobre os temas:

Cuidados com a Pele

Vírus

Bactérias

Ver todos os temas

Mais lidas na semana:

Ultrassom no 1º trimestre de gravidez pode agravar autismo

Os muitos mitos sobre as Dores nas Costas

Carne e barbatana de tubarão contêm altos níveis de neurotoxinas

Dor de cabeça: Conheça aquelas que exigem tratamento

Medicamento desenvolvido no Brasil combate origem da hipertensão