Pessoas são mais honestas se assinarem primeiro

Honestidade prévia

As pessoas tendem a preencher formulários e responder questionários mais honestamente se forem convidadas a assinar no início do documento, em vez de no final.

Isso porque atestar previamente a veracidade das informações tende a ativar o senso moral das pessoas, tornando mais difícil para elas falsear seus dados.

"Com base em nossos estudos anteriores, sabíamos que um código de honra é útil, mas nós queríamos saber o quanto a localização importava," conta Nina Mazar, professora da Universidade de Toronto, no Canadá.

Economia da mentira

As conclusões do estudo foram fundamentadas em três experimentos separados.

O maior deles, envolvendo mais de 13.000 formulários de apólices de seguros, mostrou que os clientes que assinaram no início relataram rodar em média 3.800 km a mais por mês do que aqueles que assinaram no final.

A diferença média foi superior a 10%, o que levou os clientes mais honestos a terem um custo adicional de US$48,00 por ano no seguro dos seus carros.

Tarde demais

Pesquisas anteriores já haviam mostrado que as pessoas podem utilizar várias formas de autoengano para evitar enfrentar seu próprio comportamento desonesto.

Mas se a sua autoconsciência é acionada antes de se depararem com a oportunidade de mentir, então elas se mostrarão menos propensos a fazê-lo.

Assim, pedir às pessoas que assinem um código de honra depois de já terem dito suas mentiras é algo que vem "tarde demais", segundo o artigo publicado na revista científica Proceedings of the National Academy of Sciences.


Ver mais notícias sobre os temas:

Ética

Emoções

Sentimentos

Ver todos os temas >>   


  

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.