29/09/2020

Atenção plena com respiração compassada reduz pressão arterial

Redação do Diário da Saúde
Atenção plena com respiração compassada reduz pressão arterial
"Um dos mecanismos mais plausíveis é que a respiração ritmada estimula o nervo vago e o sistema nervoso parassimpático."
[Imagem: Dean Moriarty-Pixabay]

Como combater o estresse

Além do estresse bem conhecido da vida moderna, o mundo todo está em uma situação de forte estresse por conta da pandemia, o que pode afetar adversamente a saúde e o bem-estar.

Ocorre que o estresse pode gerar uma pressão arterial elevada, e a pressão arterial elevada é uma das principais causas evitáveis de morbidade e mortalidade prematuras devido principalmente ao aumento do risco de acidente vascular cerebral e ataques cardíacos.

Para se contrapor a esses riscos, há várias mudanças terapêuticas no estilo de vida, que incluem perda de peso e redução da ingestão de sal, bem como terapias medicamentosas adjuvantes.

Mas a meditação da atenção plena é cada vez mais praticada como uma técnica para reduzir o estresse por meio das interações mente e corpo.

Em algumas técnicas, a atenção plena inclui a respiração compassada, definida como uma respiração profunda e diafragmática (inflando a barriga e não o peito), com taxas normalmente na casa de 5 a 7 respirações por minuto - em comparação com a taxa normal de 12 a 14.

Controle da respiração

Jacqueline Brenner e colegas da Universidade Atlântica da Flórida (EUA) publicaram agora um trabalho cujo objetivo é checar a eficácia da atenção plena em conjunto com a respiração compassada para reduzir a pressão arterial.

O ensaio clínico inicial incluiu a obtenção do consentimento informado dos voluntários, que foram atribuídos aleatoriamente a grupos de atenção plena com ou sem respiração estimulada e se submeteram a um monitoramento da pressão arterial.

Conforme indicado por estudos anteriores, a prática da atenção plena ajuda a reduzir a pressão arterial, mas a atenção plena com respiração estimulada reduziu ainda mais.

"Um dos mecanismos mais plausíveis é que a respiração ritmada estimula o nervo vago e o sistema nervoso parassimpático, o que reduz o estresse químico no cérebro e aumenta o relaxamento vascular, que pode levar à redução da pressão arterial," disse a professora Suzanne LeBlang, responsável pelo estudo.

"Este ensaio piloto randomizado poderá levar a outros ensaios randomizados de marcadores intermediários, como a inibição da progressão do espessamento da carótida, ou aterosclerose da artéria coronária, e, subsequentemente, um ensaio em grande escala para reduzir derrames e ataques cardíacos," disse o professor Charles Hennekens. "Alcançar reduções sustentadas na pressão arterial de 4 a 5 milímetros de mercúrio diminui o risco de derrame em 42% e ataques cardíacos em cerca de 17%; portanto, resultados positivos podem ter importantes implicações clínicas e de políticas de saúde."

Checagem com artigo científico:

Artigo: Mindfulness with paced breathing reduces blood pressure
Autores: Jacqueline Brenner, Suzanne LeBlang, Michelle Lizotte-Waniewski, Barbara Schmidt, Patricio S. Espinosa, David L. DeMets, Andrew Newberg, Charles H.Hennekens
Publicação: Medical Hypotheses
Vol.: 142, 109780
DOI: 10.1016/j.mehy.2020.109780
Siga o Diário da Saúde no Google News

Ver mais notícias sobre os temas:

Meditação

Sistema Circulatório

Coração

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2020 www.diariodasaude.com.br. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.