Ciprofloxacina tem efeito genético dramático

Ciprofloxacina tem efeito dramáticos no genoma mitocondrial
A ciprofloxacina tem efeitos dramáticos sobre o genoma mitocondrial. Este antibiótico deve ser usado com cautela, dizem os pesquisadores.
[Imagem: UEF/Raija Törrönen]

Efeitos colaterais da ciprofloxacina

Os antibióticos salvam muitas vidas ao debelar infecções bacterianas e fúngicas, mas essas drogas valiosas também têm um lado sombrio. Como a maioria dos medicamentos, muitos antibióticos podem ter efeitos colaterais indesejáveis no metabolismo do corpo, causando sintomas mais ou menos graves.

O grupo das fluoroquinolonas, com seu membro mais famoso, a ciprofloxacina, é um desses casos: as fluoroquinolonas são alguns dos antibióticos antibacterianos de amplo espectro mais frequentemente utilizados, e geralmente prescritos para infecções respiratórias, urinárias ou otológicas.

Embora esses antibióticos sejam geralmente bem tolerados, alguns pacientes desenvolvem graves problemas de saúde ao recebê-los, entre eles a ruptura de um tendão, danos permanentes aos nervos ou depressão. As razões para esses efeitos colaterais ainda não estão claras.

Um estudo realizado na Universidade da Finlândia revelou agora que a ciprofloxacina pode interferir com as mitocôndrias, as importantes organelas celulares do nosso corpo que produzem energia para todas as células.

DNA mitocondrial

As mitocôndrias possuem seu próprio pequeno genoma circular, que depende das enzimas topoisomerases para sua manutenção. As topoisomerases regulam a topologia do DNA, "desenrolando" as fitas quando elas dão nós ou se enrolam demais - elas fazem isso cortando e reconectando a sequência do DNA.

Ocorre que, embora as fluoroquinolonas tenham sido projetadas para inibir a topoisomerase girase bacteriana, o que leva à morte da bactéria, elas também inibem a topoisomerase 2 das nossas próprias células.

"Nós notamos que a topoisomerase 2 é especialmente importante na replicação do genoma mitocondrial, conforme ele regula o enrolamento desta pequena molécula de DNA, removendo torções positivas," explicou a professora Steffi Goffart.

A ciprofloxacina interrompe essa manutenção normal na transcrição do DNA mitocondrial, alterando sua topologia e causando prejuízos na produção de energia. O resultado é o bloqueio do crescimento e da diferenciação celular.

Esse impacto dramático no DNA mitocondrial é a provável causa da maioria dos efeitos colaterais negativos experimentados pelos pacientes, e também um motivo para usar os antibióticos fluoroquinolonas com grande cautela, dizem os pesquisadores em seu artigo, publicado na revista médica Nucleic Acids Research.


Ver mais notícias sobre os temas:

Medicamentos

Bactérias

Medicamentos Naturais

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2018 www.diariodasaude.com.br. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.