26/09/2019

Estresse e competição afetam homens e mulheres de forma diferente

Redação do Diário da Saúde
Estresse e competição afetam homens e mulheres de forma diferente
Embora aumente o rendimento, a competição destrói a criatividade feminina. No geral, competição e individualismo excessivos ameaçam a saúde de todos os trabalhadores.
[Imagem: Washington University St. Louis]

Estresse e competição

No geral, homens e mulheres têm melhor desempenho em situações competitivas.

No entanto, quando as mulheres estão em um estado de estresse elevado, a competição tem o efeito oposto, e leva a um desempenho pior.

Como consequência, as mulheres sob estresse evitam a competição a todo custo, garante uma equipe de pesquisadores da Alemanha, República Tcheca e Reino Unido.

Esses resultados podem ajudar a explicar por que as mulheres estão sub-representadas em empregos bem remunerados e em posições de liderança, dizem os pesquisadores, além de terem implicações para práticas de gerenciamento eficientes, incluindo incentivos de contratação e desempenho.

Combinação perigosa

Os eventos mais cruciais para uma carreira de sucesso - como entrevistas de emprego, exames de admissão ou solicitação de promoção - envolvem a concorrência em um ambiente estressante. Portanto, compreender o efeito do estresse no comportamento competitivo é vital para projetar práticas ótimas de contratação e gerenciamento nas empresas e para analisar possíveis fontes de lacunas de gênero no mercado de trabalho.

A equipe realizou experimentos com 190 estudantes universitários (95 homens e 95 mulheres) para examinar se homens e mulheres responderiam de maneira diferente ao estresse e a um ambiente competitivo. Eles manipularam os níveis de estresse dos voluntários e depois examinaram como eles reagiam à competição.

Os resultados mostraram que, em média, homens e mulheres respondem diferentemente a uma combinação de estresse e à necessidade de competir com os outros. Os homens nos grupos de estresse e de controle tiveram melhor desempenho sob competição.

Para as mulheres, no entanto, houve uma diferença marcante na reação à competição entre os grupos de estresse e controle. No grupo controle, as mulheres tiveram um desempenho significativamente melhor sob competição. Porém, as mulheres expostas ao estresse tiveram pior desempenho quando tiveram que competir.

Encontrando as melhores candidatas

Curiosamente, na ausência de competição, as mulheres com e sem estresse apresentaram os mesmos resultados. Assim, apenas a combinação de estresse e a necessidade de competir afetam negativamente o desempenho das mulheres; o estresse em si não afeta o desempenho e a própria concorrência o afeta positivamente.

"Nossos resultados podem ajudar a entender as diferenças de gênero no mercado de trabalho. Quando os procedimentos de contratação envolvem competição e estresse, os resultados podem subestimar o verdadeiro nível de habilidade das mulheres. Isso é especialmente relevante se as entrevistas ou avaliações envolverem níveis mais altos de competição e estresse do que o trabalho em si mesmo, porque o processo de seleção pode não revelar a melhor candidata," disse Jana Cahliková, do Instituto Max Planck (Alemanha).

Checagem com artigo científico:

Artigo: How Stress Affects Performance and Competitiveness Across Gender
Autores: Jana Cahlíková, Lubomír Cingl, Ian Levely
Publicação: Management Science
DOI: 10.1287/mnsc.2019.3400

Ver mais notícias sobre os temas:

Trabalho e Emprego

Gênero

Educação

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2019 www.diariodasaude.com.br. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.