09/03/2021

Mensagens científicas e negacionistas sobre covid-19 têm mesmo impacto nas redes

Redação do Diário da Saúde
Mensagens científicas e negacionistas sobre covid-19 têm mesmo impacto na população
Se é verdade que as multidões podem ganhar mais sabedoria se seus membros conversarem, então os usuários no Twitter não estão realmente conversando - estão apenas disseminando o que recebem.
[Imagem: CC0 Public Domain/Pixabay]

Cientistas versus negacionistas

A atitude do público em relação à covid-19 pode ser "mais infecciosa" do que a própria doença.

Esta é a conclusão de uma equipe da Universidade Northwestern (EUA), depois de usar programas de inteligência artificial para analisar tuítes sobre o vírus.

A grande preocupação é que informações vindas de fontes científicas e informações vindas de fontes não-científicas - como discursos de políticos - influenciam igualmente as tendências das crenças sobre saúde nas redes sociais.

O estudo descobriu que os preconceitos das pessoas aumentam quando lêem tuítes sobre a covid-19 e, quanto mais vezes cada mensagem é retuitada, mais as pessoas tendem a acreditar e retuitá-las elas próprias - sejam mensagens bem fundamentadas ou não.

"Os políticos podem falar imprecisamente sobre a eficácia de um determinado tratamento, ou dizer que a covid-19 não é grande coisa, que é como a gripe. Esses comentários têm um efeito tão forte quanto evidências científicas reais e impulsionam as crenças das pessoas. É isso que nos preocupa," disse o pesquisador Yuan Luo.

Impacto de rebanho

A equipe coletou retrospectivamente tuítes relacionados à covid-19 usando a API do Twitter. No total, eles recuperaram 92.687.660 tuítes correspondentes a 8.967.986 usuários de 6 de janeiro a 21 de junho de 2020.

Cada mensagem foi revisada duplamente para decidir se atendia a qualquer um dos quatro construtos centrais do modelo de crenças em saúde: suscetibilidade percebida, gravidade percebida, benefícios percebidos e barreiras percebidas.

Não houve diferença significativa entre o impacto das mensagens científicas e das mensagens negacionistas.

"Como cientista, você precisa estar ciente de que precisa levar a ciência às pessoas. Se você não colocar energia nisso, seus esforços podem ser facilmente compensados por aqueles que falam irresponsavelmente," disse Luo. "Olhando daqui para frente, podemos querer prestar mais atenção a uma campanha de informação pública para educar as pessoas sobre a vacina, a fim de maximizar o impacto da inoculação."

Checagem com artigo científico:

Artigo: Using Tweets to Understand How covid-19-Related Health Beliefs Are Affected in the Age of Social Media: Twitter Data Analysis Study
Autores: Hanyin Wang, Yikuan Li, Meghan Hutch, Andrew Naidech, Yuan Luo
Publicação: Journal of Internet Medical Research
Vol.: 23, No 2
DOI: 10.2196/26302
Siga o Diário da Saúde no Google News

Ver mais notícias sobre os temas:

Ética

Relacionamentos

Preconceitos

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2021 www.diariodasaude.com.br. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.