23/12/2019

O ruim do colesterol ruim depende da sua composição

Redação do Diário da Saúde
O ruim do colesterol ruim depende da sua composição
"Nossos estudos podem explicar por que a correlação do colesterol 'ruim' total com o risco de ataque cardíaco é ruim e perigosamente enganosa."
[Imagem: LipoSearch/Divulgação]

Só parte do colesterol ruim é mesmo ruim

Nos últimos anos ficou claro que o colesterol ruim não é tão ruim quanto se pensa, além do que os exames de colesterol LDL dão resultados muito ruins.

Mais uma explicação para esse comportamento irregular do LDL emergiu agora com a descoberta de que uma subclasse específica dessas lipoproteínas de baixa densidade (LDL) é um preditor muito melhor de possíveis ataques cardíacos do que o nível global de LDL, que dá muito mais falsos negativos do que indicações verdadeiras.

A presença de LDL é considerada um indicador do risco potencial de ataques cardíacos ou doenças coronárias, mas estudos mostraram que cerca de 75% dos pacientes que sofrem ataques cardíacos apresentam níveis de colesterol LDL que não indicam um alto risco para esse evento.

Ocorre que, das três subclasses que compõem o LDL, apenas uma causa danos significativos.

"Nossos estudos podem explicar por que a correlação do colesterol 'ruim' total com o risco de ataque cardíaco é ruim e perigosamente enganosa - ela é errada três quartos das vezes. Essas diretrizes nacionais podem subestimar seriamente os efeitos nocivos do colesterol LDL, especialmente nos casos onde o conteúdo da subclasse B no LDL total é alto (50% ou mais)," disse o professor Tadeusz Malinski, da Universidade de Ohio (EUA).

Subclasses do LDL

A equipe usou nanossensores para medir a concentração de óxido nítrico e peroxinitrito no endotélio estimulado pelas subclasses de LDL.

A subclasse B do LDL mostrou-se a mais prejudicial à função endotelial, podendo contribuir para o desenvolvimento da aterosclerose.

Dessa forma, não é a quantidade total de colesterol LDL que o paciente tem, mas a concentração da subclasse B em relação às outras duas - subclasse A e subclasse I - que deve ser usada para diagnosticar a aterosclerose e avaliar o risco de ataque cardíaco.

"Entender isso pode levar a melhorias na precisão do diagnóstico para avaliar as taxas de doenças cardiovasculares," disse Malinski. "A análise da mistura das subclasses de LDL pode fornecer um modelo baseado em parâmetros para um diagnóstico médico precoce da estimativa do risco de doença cardiovascular."

Checagem com artigo científico:

Artigo: Variable Effects Of LDL Subclasses Of Cholesterol On Endothelial Nitric Oxide/Peroxynitrite Balance – The Risks And Clinical Implications For Cardiovascular Disease
Autores: Tadeusz Malinski, Jiangzhou Hua
Publicação: International Journal of Nanomedicine
Vol.: 2019:14 Pages 8973-8987
DOI: 10.2147/IJN.S223524

Ver mais notícias sobre os temas:

Sistema Circulatório

Coração

Alimentação e Nutrição

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2019 www.diariodasaude.com.br. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.