24/11/2021

Mais impostos sobre refrigerantes diminui o consumo só se você avisar o consumidor

Redação do Diário da Saúde

Contar sobre o imposto, mas não o valor

Pesquisadores constataram que as políticas que instituem impostos adicionais sobre refrigerantes e demais bebidas açucaradas, com o intuito de reduzir o consumo, têm uma falha fatal.

Os impostos sobre as bebidas açucaradas só reduzem as compras se as etiquetas de preços nas lojas mencionarem que os consumidores estão pagando esse imposto adicional quando compram a bebida.

"Se [as autoridades] querem que essas políticas sejam eficazes, elas precisam regular como essas bebidas açucaradas são rotuladas nas lojas onde são vendidas - e atualmente elas não fazem isso," disse o professor Grant Donnelly, da Universidade do Estado de Ohio (EUA).

Mas há um detalhe adicional: A pesquisa mostra que as etiquetas de preços devem mencionar o imposto, mas não o valor do imposto, porque os consumidores tendem a superestimar o valor dos impostos, e podem achar que ele é baixo.

Os testes de campo em situações reais mostraram que, se os consumidores souberem o verdadeiro tamanho do imposto, eles estarão mais dispostos a pagá-lo e comprar a bebida de qualquer jeito.

Troca por outra bebida sem imposto

Os resultados mostraram que as vendas de bebidas açucaradas não caíram nas duas semanas anteriores ao início do estudo, em comparação com as vendas nos dois anos anteriores ao imposto - ou seja, o próprio imposto não reduziu a compra de bebidas açucaradas.

Os pesquisadores então analisaram os efeitos das três etiquetas de preços diferentes: Sem nenhum aviso, com o aviso de que havia cobrança adicional de imposto, e com o aviso e o valor do imposto.

As vendas só diminuíram de forma significativa quando as etiquetas mencionavam o imposto, mas não o seu valor.

Além disso, a maioria dos consumidores que optou por evitar a compra de refrigerantes com o imposto adicional escolheu outra bebida que não estava sujeita ao imposto.

"Os consumidores são avessos a impostos, então, quando descobrem que sua bebida favorita tem esse imposto sobre bebidas açucaradas, alguns ficam menos interessados em comprá-la," disse Donnelly. "Eles geralmente a substituem por bebidas mais saudáveis, como água engarrafada. Portanto, os impostos não parecem prejudicar as lojas que vendem bebidas."

 

Fonte: Diário da Saúde - www.diariodasaude.com.br

URL:  

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Cópia para uso pessoal. Reprodução proibida.