07/04/2017

Bebês de seis meses já apresentam senso de justiça

Redação do Diário da Saúde
Bebês de seis meses já apresentam senso de justiça
Pesquisadores japoneses demonstram que já nascemos com a capacidade de gostar de atos heroicos em defesa dos mais fracos. [Imagem: Kyoto University]

Senso de justiça

Nós reconhecemos a justiça antes mesmo de aprendermos a falar.

Esta característica impressionante foi demonstrada por pesquisadores japoneses, cujos experimentos revelaram que os bebês reconhecem atos heroicos desde os estágios iniciais do desenvolvimento, sugerindo que nosso senso de justiça é inato.

Mesmo bebês com seis meses de idade - portanto, muito antes de desenvolverem a fala - mostraram-se atraídos por figuras que protegem os mais fracos.

Yasuhiro Kanakogi e seus colegas da Universidade de Quioto acreditam que essa capacidade também pode explicar por que as histórias de super-heróis nos cativam desde tão cedo, não exigindo que desenvolvamos uma capacidade complexa de julgamentos para saber escolher entre o lado do mocinho e do bandido.

"Na sociedade humana, a proteção desinteressada do mais fraco é considerada um ato de justiça heroica, mas compreender isso é complexo: primeiro você tem que entender a relação de poder entre os atores, então que as ações do herói são favoráveis para a vítima, mas não para o vilão, e, finalmente, que o herói agiu deliberadamente," explica Kanakogi.

Optando pela justiça

Em uma série de experimentos, os bebês viam animações de um personagem geométrico perseguindo e batendo em outro, enquanto um terceiro olhava tudo à distância. Em uma das versões, esse terceiro personagem intervém; em outra, ele foge em outra direção.

Posteriormente, quando as crianças viam réplicas desses personagens interpretadas por atores, elas se mostravam mais propensas a escolher o personagem que intervém em defesa do mais fraco.

O mesmo aconteceu em outra série de experimentos onde o terceiro personagem não saía intencionalmente em defesa do mais fraco, mas o ajudava de forma acidental.

"Os bebês de seis meses ainda estão em um estágio inicial de desenvolvimento, e a maioria ainda não consegue falar, mas eles já podem entender a dinâmica de poder entre esses diferentes personagens, sugerindo que reconhecer o heroísmo talvez seja uma habilidade inata," disse David Butler, membro da equipe.

Desenvolvimento da ética

À medida que os bebês crescem, eles desenvolvem uma compreensão mais complexa sobre a justiça, por isso os pesquisadores já adiantam que pretendem a seguir pesquisar o desenvolvimento dessa compreensão.

"Neste estudo, os bebês de seis meses não mostraram preferência pela ajuda intencional em vez da ajuda acidental, mas os bebês de dez meses sim," disse a professora Masako Myowa, coordenadora da equipe. Ao tentar entender como um senso de justiça mais complexo é desenvolvido ao longo do tempo, a equipe finalmente vê "uma possibilidade de contribuir para soluções para problemas sociais sérios, como o bullying".

Os resultados foram publicados na revista Nature Human Behavior.

 

Fonte: Diário da Saúde - www.diariodasaude.com.br

URL:  

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Cópia para uso pessoal. Reprodução proibida.