27/12/2018

Café diminui suas chances de desenvolver Alzheimer e Parkinson

Redação do Diário da Saúde
Café diminui suas chances de desenvolver Alzheimer e Parkinson
Os estudos mais recentes têm discutido se o café ou o chá é o melhor para a saúde - ainda que se saiba também que a dose de cafeína e a idade de quem toma definem entre remédio e veneno.[Imagem: CC0 Creative Commons/Pixabay]

Café contra Alzheimer e Parkinson

Tomar café pela manhã pode lhe dar mais do que uma injeção de ânimo e energia e melhorar sua atenção - pode também protegê-lo contra o desenvolvimento das formas mais graves de demência, como Alzheimer e Parkinson.

"O consumo de café parece ter alguma correlação com um menor risco de desenvolver a doença de Alzheimer e a doença de Parkinson. Mas queríamos investigar por que isso acontece - quais compostos estão envolvidos e como eles podem afetar o declínio cognitivo relacionado à idade," explica o Dr. Donald Weaver, que fez a pesquisa com seus colegas Ross Mancini e Yanfei Wang, do Instituto do Cérebro Krembil (Canadá).

A equipe escolheu investigar três tipos diferentes de café - de torrefação leve, torrefação forte e torrefação forte descafeinado.

"O torrado escuro com cafeína e sem cafeína apresentaram potências idênticas em nossos testes experimentais iniciais. Por isso, observamos desde o início que seu efeito protetor não poderia ser devido à cafeína," disse o Dr. Mancini, confirmando pesquisas anteriores que concluíram que café descafeinado também aumenta a expectativa de vida e que não é a cafeína a responsável pelo bem que o café faz para o fígado.

Fenilindanos

Indo mais a fundo, a equipe identificou um grupo de compostos conhecidos como fenilindanos, que emergem como resultado do processo de torrefação dos grãos de café.

Os fenilindanos são o único composto investigado no estudo que previne - ou melhor, inibe - a agregação tanto da beta amiloide quanto da tau, dois fragmentos de proteínas comuns na doença de Alzheimer e de Parkinson. "Então os fenilindanos são um inibidor duplo. Muito interessante, não esperávamos por isso," disse o Dr. Weaver.

Como a torrefação gera maiores quantidades de fenilindanos, o café torrado escuro parece ser mais protetor do que o café levemente torrado.

E o fato de ser um composto natural, e não sintético, também é uma grande vantagem.

"A Mãe Natureza é uma química muito melhor do que nós, e a Mãe Natureza é capaz de produzir esses compostos. Se você tem um composto complicado, é melhor cultivá-lo em uma safra, colher a safra, moer a safra e extraí-lo, do que tentar fabricá-lo," disse o Dr. Weaver.

Mas ele admite que serão necessárias mais pesquisas antes que esses compostos possam se traduzir em possíveis opções terapêuticas contra a demência.

"O que este estudo faz é pegar evidências epidemiológicas e tentar refiná-las e demonstrar que há de fato componentes dentro do café que são benéficos para afastar o declínio cognitivo. É interessante, mas estamos sugerindo que o café é uma cura [para Alzheimer e Parkinson]? Absolutamente não," ressaltou o pesquisador.

 

Fonte: Diário da Saúde - www.diariodasaude.com.br

URL:  

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Cópia para uso pessoal. Reprodução proibida.