15/06/2020

Empresas precisam de plano para reabertura dos negócios pós-pandemia

Com informações da Umich
Empresas precisam de plano para reabertura dos negócios pós-pandemia
Especialista traça um plano detalhado de como cada empresa deve agir para garantir segurança aos trabalhadores, funcionários e à sua própria imagem. [Imagem: Umich/Divulgação]

Plano de negócios pós-pandemia

Empresas de vários países estão se preparando para começar a reabrir seus locais de trabalho.

O professor Rick Neitzel, especialista em saúde ocupacional e ambiental da Universidade de Michigan (EUA), descreve cinco etapas que empregadores e funcionários podem seguir juntos para voltar ao trabalho da maneira mais segura possível.

1) Aceite a situação: Embora todos desejemos que as interrupções relacionadas ao vírus em nossas vidas sejam temporárias, a covid-19 continuará nos afetando por algum tempo. Precisamos aceitar que as mudanças necessárias para manter os locais de trabalho, trabalhadores e clientes seguros serão a nova norma e que essas mudanças serão necessárias para reabrir os negócios com segurança e evitar uma segunda onda de infecções potencialmente catastrófica.

2) Faça um plano: Os empregadores precisam desenvolver um plano escrito de controle de infecção que identifique os possíveis fatores de risco no local de trabalho e estabeleça estratégias para controlar esses riscos. Esse plano deve estar em vigor antes da reabertura dos negócios e é necessário perguntar: O que há no local de trabalho que precisa ser alterado para torná-lo mais seguro e reduzir o risco de transmissão de vírus?

Fazer um plano envolve pesquisar toda a área e todas as várias atividades de trabalho que ocorrem lá, identificar circunstâncias nas quais os trabalhadores podem entrar em contato com o vírus - entrando em contato com pessoas infectadas ou tocando em superfícies contaminadas - e depois descobrir detalhes específicos e etapas para minimizar o risco de infecção.

3) Comunique o plano: Não é suficiente para um empregador simplesmente desenvolver um plano. Mesmo o melhor e mais ponderado plano será ineficaz a não ser que seja claramente comunicado aos trabalhadores e, nos locais de trabalho públicos, aos clientes. Empregadores e funcionários precisam ter uma comunicação bidirecional constante para formar uma parceria eficaz de controle de infecções.

Os empregadores também precisam se comunicar com o público para que os clientes saibam o que está sendo feito para mantê-los seguros. Muitos clientes podem ter receio de visitar empresas, e um plano de comunicação eficaz pode ajudar os empregadores a transmitir a esses clientes quão seriamente as empresas estão levando a prevenção de infecções. Os funcionários também podem desempenhar um papel importante, pois têm grandes oportunidades de comunicar diretamente seu compromisso com a segurança a clientes e fornecedores.

Por fim, é importante que os funcionários entendam que a proteção no local de trabalho por si só não é suficiente para eliminar o risco de infecção. Ainda será absolutamente crítico manter o distanciamento social fora do local de trabalho para evitar infecções na comunidade.

4) Implementar e seguir o plano: Existem três camadas de controle de infecção que os empregadores devem implementar para limitar o risco de transmissão de vírus no local de trabalho. É importante implementar várias camadas para fornecer a melhor defesa possível contra a infecção.

  • a)

    Controles físicos ou de engenharia: Redesenhar a configuração física do local e a maneira como o trabalho deverá ser realizado é a maneira mais eficaz de impedir a transmissão do vírus. Isso inclui alterações para garantir que as estações de trabalho estejam a pelo menos um metro e meio ou, quando isso não for possível, colocando barreiras físicas (por exemplo, divisórias de acrílico ou cortinas transparentes) entre os trabalhadores. Outras mudanças incluem alterar ou diminuir o tempo das atividades de trabalho, para que os trabalhadores não precisem estar no mesmo local ao mesmo tempo, modificando o fluxo de tráfego nas instalações e mudando a ventilação nos edifícios para entrada de ar fresco. É importante que os empregadores obtenham informações sobre essas mudanças para garantir que o trabalho ainda possa ser realizado de maneira eficaz.

  • b)

    Controles administrativos: Além das alterações físicas no local de trabalho, também são necessárias alterações comportamentais, chamadas de controles administrativos, para prevenir infecções. Os exemplos incluem fazer com que os funcionários concluam a triagem de temperatura e os diários de sintomas antes de entrarem nos locais de trabalho e garantir que os funcionários potencialmente doentes entendam que não devem vir ao trabalho. Outros controles administrativos incluem exigir que todos lavem as mãos, garantir que sejam adequadamente treinados para realizar seus trabalhos com segurança, implementar restrições de distanciamento social, como também garantir que os funcionários não se reúnam em grandes grupos e escalonar os horários de início e fim do turno para evitar aglomeração nas entradas, nos intervalos e vestiários. Como os empregadores, os funcionários estão sob tremenda pressão financeira para voltar ao trabalho. Ficar em casa se estiver doente é uma responsabilidade essencial dos funcionários. Se apenas uma pessoa doente vier ao trabalho e não seguir os protocolos de segurança, ela poderá romper as camadas defensivas e minar todo o plano de controle de infecções.

  • c)

    Uso de equipamento de proteção individual: A última linha de defesa dos funcionários é o uso do equipamento de proteção individual, ou EPI. Para a maioria dos trabalhadores, isso inclui algum tipo de máscara ou cobertura facial. É importante lembrar que uma cobertura facial não protege apenas o funcionário da infecção por colegas de trabalho e clientes; também protege os colegas de trabalho e os clientes, caso o funcionário esteja transmitindo o vírus, mas seja assintomático. Para alguns locais de trabalho, como barbearias que prestam serviços de cuidados pessoais e envolvem contato direto com os clientes, pode ser necessário usar outros tipos de EPI, como luvas e protetores faciais.

Cada uma das três camadas de defesa pode ser extremamente eficaz na redução do risco de infecção. No entanto, para reduzir o risco tanto quanto possível, os empregadores precisam implementar todas as três camadas e os funcionários precisam garantir que sigam rigorosamente todos os protocolos de segurança. Coletivamente, essa parceria protegerá trabalhadores, clientes e fornecedores contra infecções.

5) Avalie e ajuste o plano: Mesmo um plano bem elaborado e completamente implementado pode não funcionar tão bem quanto deveria. Portanto, é essencial avaliar continuamente esse plano para confirmar que está atingindo os melhores resultados possíveis. Embora o plano deva estar em vigor antes da reabertura dos negócios, quaisquer problemas só serão aparentes após a reabertura. Os planos de controle de infecções podem falhar de várias maneiras, incluindo falta de comunicação, entendimento inadequado dos riscos e implementação ruim ou incompleta do plano. Para evitar essas falhas, os empregadores devem monitorar a situação de perto após a reabertura e ajustar os aspectos do plano que não alcançam os resultados desejados.

Por sua vez, os funcionários que voltarem ao trabalho e tiverem dúvidas, precisam conversar com seu empregador. O desafio da prevenção de infecções no local de trabalho e do gerenciamento de riscos de um vírus que nunca existiu antes em humanos é novidade para todos. Quanto mais rápido os empregadores e os funcionários aceitarem que o local de trabalho e as atividades de trabalho mudarão de maneiras sem precedentes - e talvez desconfortáveis - mais rápido poderemos voltar ao trabalho.

 

Fonte: Diário da Saúde - www.diariodasaude.com.br

URL:  

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Cópia para uso pessoal. Reprodução proibida.