12/12/2019

Gripe e vacina contra gripe afetam o corpo de modo diferente

Redação do Diário da Saúde
Gripe e vacina contra gripe afetam o corpo de modo diferente
"Nós encontramos coisas que são específicas da gripe ou da vacina, então precisamos perguntar: 'Quais são os efeitos desses genes?'," disse George Mias.[Imagem: MSU/Divulgação]

Como melhorar as vacinas contra a gripe

De acordo com os Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA, a vacina contra a gripe é eficaz apenas entre 40% e 60% das vezes, mas já houve estações piores: a vacina da gripe de 2018 teve apenas 20% de eficácia.

Tentando melhorar esses resultados, pesquisadores conseguiram medir como os níveis de RNA celular mudam após uma infecção pelo vírus da gripe ou pela vacinação contra a gripe.

O trabalho promete ajudar a fazer as futuras vacinas contra a gripe funcionarem melhor, ou até mesmo ajudar no projeto de uma vacina universal, que não precise se reconstruída a cada estação.

"Entender essas diferenças pode nos ajudar a identificar novos alvos para a construção de melhores vacinas, além de nos ajudar a descobrir maneiras melhores de tratar a doença," disse o professor George Mias, da Universidade do Estado de Michigan.

Expressão gênica

As novas informações vieram da reanálise cuidadosa dos dados de 18 estudos científicos publicados anteriormente, onde os cientistas haviam colhido amostras de sangue de pacientes com gripe e receptores de vacina e estudado essas amostras para medir sua expressão gênica.

Quando um gene é expresso em uma célula, isso significa que o DNA foi usado para produzir RNA para esse gene. Assim, essa expressão gênica pode ser medida pelos níveis de RNA nas células. E a expressão gênica nas células pode mudar em resposta a estímulos, incluindo doenças.

Os pesquisadores encontraram 978 genes com expressão alterada para a infecção e a vacinação. Aproximadamente um terço desses genes (334) se sobrepuseram, enquanto cerca de dois terços (644) eram únicos para a infecção ou para a vacinação.

Ou seja, genes distintos estão envolvidos nos dois diferentes processos no corpo. Vários genes que foram expressos de maneira diferente na infecção da gripe, por exemplo, estão envolvidos nos mecanismos defensivos do corpo. Por outro lado, genes expressos exclusivamente na vacinação estão envolvidos no processamento de antígenos, o que estimula a resposta imune do corpo.

Os pesquisadores também encontraram 907 genes relacionados à idade e 48 relacionados ao sexo que afetam as alterações na expressão gênica da gripe/vacina contra gripe. Compreender essas diferenças pode ajudar na busca pelo desenvolvimento de uma vacina universal.

"Nós encontramos coisas que são específicas da gripe ou da vacina, então precisamos perguntar: 'Quais são os efeitos desses genes?'," disse Mias. "Por exemplo, se a vacina está ativando genes e caminhos adicionais que a própria doença não está ativando, deveríamos perguntar: 'Eles são relevantes e poderiam estar ligados a algum efeito colateral?' Essas são perguntas que merecem ser respondidas."

 

Fonte: Diário da Saúde - www.diariodasaude.com.br

URL:  

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Cópia para uso pessoal. Reprodução proibida.