18/04/2022

A inflamação, e não o vírus, pode causar perda de olfato na covid-19

Redação do Diário da Saúde
A inflamação, e não o vírus, pode causar perda de olfato na covid-19
Gráfico mostrando como a infecção por SARS-CoV-2 nas passagens nasais leva à inflamação, que por sua vez danifica as células nervosas e reduz o número de axônios (transmissores de impulso) disponíveis para enviar sinais de odor ao bulbo olfativo (que ajuda o cérebro a processá-los).[Imagem: Cheng-Ying Ho/Johns Hopkins Medicine]

Covid e olfato

A anosmia, a perda do olfato, é um sintoma largamente associado à covid-19, podendo afetar a qualidade de vida do paciente a longo prazo, dificultando saborear os alimentos ou detectar riscos no ar.

Embora os impactos da anosmia mediada pela covid sejam bem conhecidos, os mecanismos biológicos que expliquem esse efeito permanecem um mistério.

De forma um tanto surpreendente, a equipe da professora Cheng-Ying Ho, da Universidade Johns Hopkins (EUA), demonstrou agora que a perda do olfato é uma consequência secundária da inflamação que ocorre quando o sistema imunológico do corpo responde à infecção pelo SARS-CoV-2, e não uma ação direta do vírus.

"Como neuropatologista, me perguntei por que a perda de olfato é um sintoma muito comum na covid-19, mas não em outras doenças respiratórias," justificou Cheng-Ying. "Então, decidimos nos aprofundar na mecânica do olfato para ver o que realmente ocorre no nível celular quando o SARS-CoV-2 invade o corpo."

Danos ao sistema olfativo

Ho e seus colegas coletaram tecidos do bulbo olfativo na base do cérebro - uma região que transmite impulsos nervosos que transportam informações sobre odores - de 23 pessoas que morreram de covid-19 e de um grupo de controle de 14 pessoas que morreram de outras causas e que não tinham SARS-CoV-2 detectável no momento de suas mortes.

Os pesquisadores queriam checar três coisas com o estudo dos dois grupos: Os níveis de degeneração (danos) aos neurônios no sistema olfativo, a quantidade de axônios olfativos perdidos e a gravidade da microvasculopatia (doença dos pequenos vasos sanguíneos).

O cerne dos resultados não surpreendeu.

"Quando comparamos os tecidos de pacientes sem covid-19 com aqueles de pessoas infectadas com SARS-CoV-2, especialmente aqueles com perda total ou diminuída do olfato, descobrimos que o grupo com covid apresentou lesão vascular mais grave e muito menos axônios no bulbo olfativo," contou Ho. "E isso não mudou quando controlamos estatisticamente para o impacto da idade, sugerindo fortemente que esses efeitos não estão relacionados à idade e, portanto, estão ligados à infecção por SARS-CoV-2."

Perda do olfato por inflamação

Contudo, outro resultado do estudo causou surpresa: Apesar dos danos nos nervos e nos vasos, as esperadas partículas de SARS-CoV-2 não foram detectadas no bulbo olfatório na maioria dos pacientes com covid-19.

Ou seja, não é possível explicar os danos ao sistema olfativo pela ação direta do vírus, sugerindo uma associação da perda olfativa com a inflamação causada no corpo pelo vírus.

"Nossas descobertas sugerem que a infecção por SARS-CoV-2 do epitélio olfativo leva à inflamação, que por sua vez danifica os neurônios, reduz o número de axônios disponíveis para enviar sinais ao cérebro e resulta na disfunção do bulbo olfativo," resumiu Ho.

Os pesquisadores planejam fazer um estudo de acompanhamento em tecidos retirados de pacientes que morreram das variantes delta e ômicron do SARS-CoV-2 para checar seus resultados, que abrem uma nova rota de pesquisas para tentar "consertar" o sistema olfativo dos pacientes afetados.

 

Fonte: Diário da Saúde - www.diariodasaude.com.br

URL:  

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2022 www.diariodasaude.com.br. Cópia para uso pessoal. Reprodução proibida.