26/10/2021

Mãe de todos os canabinoides inibe convulsões da epilepsia

Redação do Diário da Saúde
O ácido canabigerólico (CBGA), o ácido canadivarínico (CBDVA), a canabidivarina (CBDV) e o ácido canabigerovarínico (CBGVA) reduziram as convulsões em cobaias com epilepsia intratável.[Imagem: Lambert Initiative for Cannabinoid Therapeutics/University of Sydney]

Ácidos canabinoides

Pesquisadores da Universidade de Sydney (Austrália) descobriram novos detalhes sobre como os extratos da maconha (Cannabis sativa) podem funcionar no tratamento da epilepsia.

Eles descobriram que três ácidos canabinoides, compostos extraídos da maconha, reduzem as convulsões da síndrome de Dravet, uma forma intratável de epilepsia infantil.

"Desde o início do século XIX, extratos de cannabis eram usados na medicina ocidental para tratar convulsões, mas a proibição da cannabis atrapalhou o avanço da ciência," disse o professor Jonathon Arnold. "Agora podemos explorar como os compostos desta planta podem ser adaptados para tratamentos terapêuticos modernos."

A grande novidade do estudo está na descrição dos efeitos anticonvulsivantes de três canabinoides mais raros, todos eles ácidos canabinoides.

Mãe de todos os canabinoides

Os canabinoides ácidos são os canabinoides que são biossintetizados na planta e são encontrados em extratos de cannabis artesanais usados para tratar crianças com epilepsia.

Um deles, o ácido canabigerólico (CBGA), é a "mãe de todos os canabinoides", disse o professor Arnold, uma vez que é a molécula precursora para a criação de canabinoides mais conhecidos, como o canabidiol (CBD) e o tetrahidrocanabinol (THC).

"Os ácidos canabinoides são abundantes na cannabis, mas têm recebido muito menos atenção científica. Estamos apenas começando a entender seu potencial terapêutico," disse o pesquisador.

"Nós descobrimos que o CBGA (ácido canabigerólico) foi mais potente do que o CBD (canabidiol) na redução das convulsões desencadeadas por um evento febril em um modelo de camundongo da síndrome de Dravet. Por outro lado, doses mais altas de CBGA também têm efeitos pró-convulsivantes em outros tipos de convulsão, destacando uma limitação deste constituinte da cannabis. Também descobrimos que o CBGA afetar muitos alvos de drogas relevantes para a epilepsia," disse a pesquisadora Lyndsey Anderson.

Maconha por inteiro

A equipe está prosseguindo sua pesquisa na esperança de desenvolver um tratamento melhor à base de cannabis para a síndrome de Dravet.

Contudo, à medida que os efeitos de cada elemento da maconha são estudados, é cada vez maior o número de cientistas que acreditam fortemente que há algo exclusivamente terapêutico quando todo o espectro de componentes da cannabis trabalham juntos.

"Avaliamos os canabinoides um por um e agora estamos explorando o que acontece quando você os coloca todos juntos novamente. Resta uma possibilidade real de que todos esses canabinoides anticonvulsivantes individuais possam funcionar melhor quando combinados," disse o Dr. Anderson.

 

Fonte: Diário da Saúde - www.diariodasaude.com.br

URL:  

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Cópia para uso pessoal. Reprodução proibida.