29/03/2021

Musicoterapia vira ferramenta básica para neurorreabilitação

Redação do Diário da Saúde

Terapia Musical Neurológica

Intervenções terapêuticas baseadas na música - ou musicoterapia - tornaram-se um ingrediente central da neurorreabilitação nos últimos 20 anos, graças a um crescente corpo de conhecimento na área.

A musicoterapia neurológica é o uso clínico e baseado em evidências de intervenções musicais por um profissional credenciado.

Mas a terapia com música pode fazer mais do que isso.

A Dra Catherine Haire e um grupo de especialistas destacam algumas das lacunas críticas em aplicações clínicas da musicoterapia, que incluem cognição pós-AVC, lesão cerebral traumática, autismo e dificuldades de aprendizagem específicas.

Teoria e prática da musicoterapia

Pesquisas já na década de 1990 mostraram como estímulos rítmicos musicais podem melhorar a mobilidade em pacientes com acidente vascular cerebral e doença de Parkinson.

Hoje sabemos que as intervenções baseadas na música podem efetivamente tratar uma ampla gama de deficiências nas funções sensório-motoras, de fala e linguagem e cognitivas.

Para mostrar essas novas possibilidades, a equipe coordenou a publicação de uma série de artigos científicos que descrevem os últimos avanços. As publicações estão na revista médica NeuroRehabilitation.

A publicação inclui três estudos sobre o uso da música na reabilitação de lesões cerebrais traumáticas; dois estudos que analisam intervenções baseadas em música em crianças com autismo e dificuldades de aprendizagem, respectivamente; a conexão pouco investigada entre o treinamento motor e os resultados cognitivos na reabilitação de AVC crônico; e um artigo teórico sobre os mecanismos de mudanças neuroplásticas subjacentes às intervenções de terapia musical neurológica bem-sucedidas.

Este último artigo fornece uma primeira compreensão teórica de como a música molda a função cerebral na neurorreabilitação em condições de deficiência.

Caminhos da musicoterapia

"Uma tendência significativa é a passagem de uma abordagem de terapia para uma abordagem de aprendizagem/treinamento, o que permite ao paciente se tornar um participante mais autônomo e independente da terapia. Fornecer aos pacientes dispositivos baseados em música para um treinamento mais independente e mais frequente por meio da tecnologia musical será um novo desenvolvimento importante.

"Os desafios futuros serão desenvolver abordagens e construir tecnologia para integrar a Terapia Musical Neurológica à telessaúde pós-covid-19 para alcançar mais pacientes carentes em todo o mundo, que não têm acesso a serviços de neurorreabilitação amplamente distribuídos. Estamos agora em um ponto onde podemos afirmar clinicamente que o cérebro que se envolve com a música é mudado pelo envolvimento com a música," disse o professor Michael Thaut, da Universidade de Toronto (Canadá).

 

Fonte: Diário da Saúde - www.diariodasaude.com.br

URL:  

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Cópia para uso pessoal. Reprodução proibida.