29/05/2019

OMS alerta para o risco do consumo de gordura trans

Com informações da Agência Brasil

Gorduras trans de origem industrial

A Organização Mundial da Saúde (OMS) emitiu um alerta de que ao menos 5 bilhões de pessoas em todo o mundo convivem com os riscos de desenvolver doenças associadas ao uso das gorduras trans de origem industrial.

Segundo a entidade, o ingrediente industrial causa cerca de 500 mil mortes a cada ano.

Presentes principalmente - mas não só - em produtos industrializados, como sorvetes, margarina, cremes vegetais, batatas fritas, salgadinhos, bolos, biscoitos e gorduras hidrogenadas, as gorduras trans são um tipo de gordura que se forma por um processo natural ou industrial que transforma óleos vegetais líquidos em gordura sólida.

Usadas para melhorar a consistência dos alimentos e para aumentar o prazo de validade de alguns produtos industriais, as gorduras trans podem causar o aumento do colesterol total e do colesterol ruim (LDL).

Segundo a OMS, alguns países estão adotando medidas para restringir o uso das gorduras trans, mas é preciso fazer muito mais.

"O impulso para a eliminação global da gordura trans produzida industrialmente está crescendo, com quase um terço da população mundial já protegida, em 28 países," disse o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus. "Mas mais de dois terços da população mundial ainda carece de proteção contra a gordura trans industrial em seus alimentos."

Gorduras trans no Brasil

De acordo com a organização, o Brasil figura ao lado de outros 25 países que adotam medidas para incentivar os consumidores a fazer escolhas mais saudáveis em relação aos alimentos e bebidas industrializadas. Estão nesse grupo outros países sul-americanos: Bolívia, Paraguai e Uruguai.

Mas o monitoramento global indica que são os países com maior renda os que têm liderado os esforços políticos para que as gorduras trans sejam erradicadas. Nenhum país de baixa renda e apenas três países de renda média-baixa (Índia, Quirguistão e Uzbequistão) têm políticas anti-gorduras trans.

A OMS publicou em seu site uma série de medidas para orientar os governos, a indústria e a sociedade a substituir as gorduras trans por componentes mais saudáveis. Entre as medidas propostas estão a reformulação, pela indústria alimentícia, das receitas de produção. Eliminar esses ingredientes da produção industrial de alimentos é uma das prioridades da OMS e uma das metas do programa geral que norteia as ações a serem desenvolvidas pela organização até 2023.

No site do Ministério da Saúde também é possível acessar duas cartilhas, o Guia Alimentar para a População Brasileira e o Guia de Alimentos Regionais Brasileiros, com dicas e recomendações para uma alimentação saudável, saborosa e balanceada.

 

Fonte: Diário da Saúde - www.diariodasaude.com.br

URL:  

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Cópia para uso pessoal. Reprodução proibida.