07/04/2021

Viver sem estresse tem benefícios - menos para o seu cérebro

Redação do Diário da Saúde
Viver sem estresse tem benefícios - menos para o seu cérebro
Recentemente foi descoberta uma conexão mente-corpo que explica as reações ao estresse.[Imagem: CC0 Public Domain/Pixabay]

Benefícios cognitivos do estresse

O estresse é uma experiência humana universal, com a qual quase todo mundo lida de vez em quando.

Talvez você pense que seria ideal se livrar totalmente dele, mas parece que não sentir estresse algum pode até ser pior do que conviver com níveis aceitáveis dessa incômoda agitação.

Durante sua pesquisa, psicólogos da Universidade da Pensilvânia confirmaram que as pessoas que relataram não experimentar fatores estressantes apresentavam maior probabilidade de experimentar melhor bem-estar diário e menos condições crônicas de saúde - como esperado.

No entanto, essas pessoas sem estresse também se mostraram mais propensas a ter uma função cognitiva significativamente inferior à de seus pares mais estressados.

Portanto, pequenos estressores diários podem potencialmente beneficiar o cérebro, apesar de serem um inconveniente.

"É possível que vivenciar fatores estressantes crie oportunidades para você resolver um problema, por exemplo, consertar seu computador que quebrou repentinamente antes de uma reunião virtual. Portanto, vivenciar esses fatores estressantes pode não ser agradável, mas pode forçá-lo a resolver um problema, e isso pode realmente ser bom para o funcionamento cognitivo, especialmente à medida que envelhecemos," disse o professor David Almeida, coordenador da pesquisa.

Estresse e cognição

Os pesquisadores usaram dados de 2.711 participantes. Antes do início do estudo, todos realizaram um breve teste de cognição. Em seguida, os voluntários foram entrevistados todas as noites, durante oito noites consecutivas, respondendo a perguntas sobre seu humor, condições crônicas que possam ter, seus sintomas físicos - como dores de cabeça, tosse ou garganta inflamada - e o que fizeram durante o dia.

Os participantes também relataram a quantidade de fatores estressantes - como desentendimentos com amigos e familiares ou um problema no trabalho - e a quantidade de experiências positivas, como rir com alguém em casa ou no trabalho, que vivenciaram nas últimas 24 horas.

Os dados mostram benefícios para aqueles que não relataram estressores durante o estudo - cerca de 10% dos participantes -, que eram menos propensos a ter condições crônicas de saúde e vivenciar um melhor humor ao longo do dia.

No entanto, aqueles que não relataram estressores também tiveram desempenho inferior no teste de cognição, com a diferença equivalendo a mais de oito anos de idade - as notas em testes cognitivos diminuem com a idade. Como esperado, eles também se mostraram menos propensos a dar ou receber apoio emocional, bem como menos propensos a vivenciar coisas positivas acontecendo ao longo do dia.

Ou seja, o estresse melhora a cognição, mas não as emoções e o bem-estar.

"Eu acho que há uma suposição de que eventos negativos e eventos positivos são esses pólos opostos, mas na realidade eles estão correlacionados," comentou Almeida. "Mas, realmente, acho que passar por pequenos estressores diários, como ter uma discussão com alguém, ter seu computador quebrado ou talvez ficar preso no trânsito, eu penso que pode ser um marcador para alguém que tem uma vida ocupada e talvez plena. Ter algum estresse é apenas um indicador de que você está engajado na vida."

 

Fonte: Diário da Saúde - www.diariodasaude.com.br

URL:  

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Cópia para uso pessoal. Reprodução proibida.