Ver:

 Temas
 Enfermidades





RSS Diário da Saúde

Twitter do Diário da Saúde

06/12/2012

Componente do alecrim protege olhos da degeneração macular

Redação do Diário da Saúde

Ácido carnósico

O ácido carnósico, um componente do alecrim (Rosmarinus officinalis), tem efeitos benéficos sobre os olhos que poderão levá-lo a ser usado para tratar condições sérias, como a degeneração macular relacionada à idade.

A descoberta, feita por pesquisadores do Instituto de Pesquisas Médicas Sanford-Burnhan (EUA), foi publicada na revista médica Investigative Ophthalmology & Visual Science.

O Dr. Stuart Lipton e seus colegas descobriram que o ácido carnósico protege a retina da degeneração e da toxicidade de compostos químicos danosos presentes no organismo.

Os efeitos foram demonstrados em culturas celulares e em experimentos com animais.

Alecrim para os olhos

A degeneração macular tem muitas causas subjacentes.

No entanto, estudos anteriores sugerem que a doença pode ser retardada ou melhorada por substâncias químicas que combatem radicais livres, compostos reativos relacionados de oxigênio e nitrogênio que danificam as membranas e outros processos celulares.

A equipe do Dr. Lipton extraiu do alecrim o ácido carnósico, que se mostrou benéfico para a proteção de tecidos nervosos do cérebro e, mais especificamente, dos olhos.

As células tratadas com o ácido carnósico começaram a produzir uma enzima antioxidante que baixou os níveis dos compostos reativos de oxigênio e de nitrogênio - radicais livres e peróxidos.

Componente do alecrim protege olhos da degeneração macular
À esquerda, células de controle expostas ao peróxido de hidrogênio. À direita, células tratadas com o ácido carnósico extraído do alecrim - células vivas estão em verde e células mortas estão em vermelho. [Imagem: Sanford-Burnham Medical Research Institute]

"Nós agora estamos desenvolvendo derivativos otimizados do ácido carnósico e compostos relacionados a ele para proteger a retina e outras áreas do cérebro de uma série de condições degenerativas, incluindo várias formas de demência," disse o pesquisador.

As plantas medicinais amplamente utilizadas ao longo da história na Ásia e em diversas outras culturas têm recebido uma atenção renovada pela medicina ocidental nos últimos anos.

Os cientistas agora estão trabalhando para isolar os compostos ativos dessas ervas medicamentosas e documentando suas propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias, entre outras.

Outros grupos já documentaram inúmeros benefícios do alecrim, entre os quais o retardamento do processo de envelhecimento, proteção contra cáries, antimicrobiano e como suavizador dos efeitos colaterais da quimioterapia.


Ver mais notícias sobre os temas:

Plantas Medicinais

Medicamentos Naturais

Olhos e Visão

Ver todos os temas

Mais lidas na semana:

Cientistas dizem ter descoberto cura definitiva para alcoolismo

Vacina contra dengue pode fazer mais mal que bem em alguns locais

Os muitos mitos sobre as Dores nas Costas

Medicamento desenvolvido no Brasil combate origem da hipertensão

Carne vermelha todo dia faz mal? Especificamente que mal?