Ver:

 Temas
 Enfermidades





RSS Diário da Saúde

Twitter do Diário da Saúde

12/03/2012

Biochip detecta doenças infecciosas na hora

Redação do Diário da Saúde
Biochip detecta doenças infecciosas na hora
Os pesquisadores começaram testando o aparelho em animais, e confirmaram que ele pode ser usado também para detectar doenças comuns em rebanhos.[Imagem: UTK]

Exame na hora

Identificar uma doença infecciosa exige exames que podem levar horas ou, na maior parte dos casos, dias.

Um tempo do qual não se dispõe, sobretudo nos casos mais graves. Isto sem contar a possibilidade do espalhamento rápido do problema caso o tratamento não comece o quanto antes.

A solução parece estar em um minúsculo biochip, capaz de detectar doenças infecciosas na hora, ao lado do paciente.

O aparelho foi desenvolvido por Jayne Wu e Shigetoshi Eda, da Universidade do Tennesee (EUA).

Essência do tempo

Partindo de uma única gota de sangue, o biochip detecta doenças infecciosas, as bactérias ou outros patógenos causadores do problema, além de várias condições fisiológicas, em alguns minutos.

"O tempo está na essência dos tratamentos das doenças infecciosas. Este aparelho tem potencial para salvar inúmeras vidas economizando tempo na detecção dessas doenças," disse o Dr. Wu.

Segundo o pesquisador, quando produzido em larga escala, o detector de doenças infecciosas será muito mais barato do que os exames atuais, ao dispensar o envio para o laboratório, o uso de equipamentos caros e a manipulação por técnicos especializados.

Com o minúsculo chip, tudo é feito na hora, sem nenhum treinamento especial.

Doença de Johne

Os pesquisadores começaram testando o aparelho em animais, e confirmaram que ele pode ser usado também para detectar doenças comuns em rebanhos.

O biochip detecta tanto a tuberculose em humanos, quanto a paratuberculose, ou doença de Johne, no gado - essa doença nos animais não tem cura, o que torna sua identificação rápida essencial para que ela não se espalhe pelo rebanho.

Com o sucesso inicial, voltado para doenças infecciosas, os cientistas esperam poder ampliar o raio de ação do seu biochip, tornando-o capaz de detectar outras doenças, assim como a presença de microorganismos em alimentos.

Eles estão em negociações com uma empresa interessada em colocar o biochip no mercado.


Ver mais notícias sobre os temas:

Biochips

Infecções

Exames

Ver todos os temas

Mais lidas na semana:

Dor de cabeça: Conheça aquelas que exigem tratamento

Vacina contra dengue pode fazer mais mal que bem em alguns locais

Os muitos mitos sobre as Dores nas Costas

Medicamento desenvolvido no Brasil combate origem da hipertensão

Carne vermelha todo dia faz mal? Especificamente que mal?