Brasil ainda gasta pouco com saúde, afirmam especialistas

Para o diretor-presidente da Anvisa, Jarbas Barbosa, o sistema de saúde brasileiro precisa se adaptar para se tornar capaz de prevenir e tratar doenças ligadas ao envelhecimento.

"Diferentemente dos países europeus, que tiveram mais tempo para se adequar, estamos assistindo a um envelhecimento muito rápido da população," disse ele.

Para Barbosa, o Brasil ainda gasta pouco em saúde, e os novos desafios da transição demográfica exigem um volume maior de recursos.

Há uma impressão falsa no país de que se gasta o suficiente em saúde. No entanto, disse Barbosa, dos 9,7% dos gastos em saúde em relação ao PIB, apenas 4,7% correspondem ao gasto público.

"Nenhum país que tenha um sistema universal de saúde tem um percentual igualmente baixo," afirmou.

Os países europeus têm um gasto aproximadamente 7,8 vezes maior por habitante que o Brasil.

Barbosa falou durante o Fórum de Tecnologia e Acesso à Saúde, realizado pela Folha de São Paulo.


Ver mais notícias sobre os temas:

Saúde Pública

Atendimento Médico-Hospitalar

Terceira Idade

Ver todos os temas >>   

A informação disponível neste site é estritamente jornalística, não substituindo o parecer médico profissional. Sempre consulte o seu médico sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e aos seus tratamentos e medicamentos.
Copyright 2006-2016 www.diariodasaude.com.br. Conteúdo publicado sob licença de www.sciencetolife.com. Todos os direitos reservados para os respectivos detentores das marcas. Reprodução proibida.