Ver:

 Temas
 Enfermidades





RSS Diário da Saúde

Twitter do Diário da Saúde

26/11/2013

Canetas laser causam danos irreversíveis aos olhos

Redação do Diário da Saúde
Canetas laser causam danos irreversíveis aos olhos
Lasers de alta potência não são brinquedo, e não devem ser dados a crianças e adolescentes.[Imagem: Wikimedia]

Um tipo de laser azul de alta potência, vendido como brinquedo, e cada vez mais popular entre os adolescentes e jovens, pode causar sérios danos aos olhos, alguns irreversíveis.

Um relatório contendo 14 casos de danos oculares até agora desconhecidos, induzidos por laser, foi publicado por médicos dos hospitais King Khaled Eye Specialist (Arábia Saudita) e Johns Hopkins (EUA).

Os casos começaram a aparecer em 2012, e foram acompanhados até meados deste ano.

Os pesquisadores destacam que, depois que já haviam terminado seu relatório científico, mais 16 casos foram atendidos e tratados com lesões induzidas por laser nos dois hospitais.

Laser azul

Todos os ferimentos oculares, incluindo quatro casos de perfurações da retina, foram causados por aparelhos de alta potência de laser azul.

Os autores afirmam que os lasers de alta potência vendidos como brinquedo se assemelham aos apontadores laser de baixa potência utilizados durante apresentações e podem ser facilmente confundidos com eles - os apontadores também não devem ser apontados para o olhos, mas não causam tantos danos quanto os aparelhos de maior potência.

Um apontador laser para uso em sala de aula tem cerca de 5 miliwatts de potência, mas já se pode encontrar dispositivos com várias centenas de miliwatts no comércio - são estes os mais perigosos.

"Tememos que nosso estudo possa marcar o início de uma tendência alarmante e possa indicar um número crescente de jovens com lesões oculares graves, à medida que estes lasers de alta potência se tornam mais onipresentes," disse o Dr. Fernando Arevalo, membro da equipe.

Laser não é brinquedo

Os médicos afirmam que as advertências presentes nos rótulos desses aparelhos aparentemente não são suficientes para evitar as lesões.

Segundo eles, é essencial que os médicos, pais e educadores falem com as crianças sobre os perigos desses dispositivos - e que os pais não os comprem para seus filhos.

Além disso, acrescentam, os médicos devem se informar sobre o uso do laser em todos os casos de perda súbita e inexplicável de visão, especialmente entre os meninos, adolescentes e jovens do sexo masculino, entre os quais esses dispositivos são mais populares.

Todas as lesões ocorreram durante brincadeiras e todos os envolvidos eram jovens do sexo masculino, com idades entre 11 e 30 anos.

Algumas lesões foram acidentais, mas outras envolveram um companheiro apontando intencionalmente o feixe de laser para os olhos da vítima.

A distância entre o olho da vítima e o feixe de laser variou de meio metro a 6 metros. Aqueles que sofreram perfurações na retina ficaram feridos na distância mais próxima, a cerca de meio metro.


Ver mais notícias sobre os temas:

Olhos e Visão

Consumo Responsável

Diversão

Ver todos os temas

Mais lidas na semana:

Cientistas dizem ter descoberto cura definitiva para alcoolismo

Vacina contra dengue pode fazer mais mal que bem em alguns locais

Os muitos mitos sobre as Dores nas Costas

Medicamento desenvolvido no Brasil combate origem da hipertensão

Carne vermelha todo dia faz mal? Especificamente que mal?